Weezer – 26-09-2019 – São Paulo (Ginásio do Ibirapuera)

Texto por Carlos Ferracin – Fotos por Ricardo Matsukawa (Mercury Concerts) – Edição por André Luiz

Na noite de 26 de setembro foi dada a largada para o Festival “Itaipava de Som a Sol” no simpático e acolhedor Ginásio do Ibirapuera em São Paulo com a banda americana Weezer. Além deles, se apresentarão nos próximos dias: Dave Matthews Band, Seal, Nickelback e Black Eyed Peas. Com 27 anos de carreira e 13 álbuns lançados, o Weezer nunca havia se apresentado em solo paulistano – seu único show no Brasil foi em 2005 no Curitiba Pop Festival.

Pontualmente as 21h30m Rivers Cuomo (guitarra e vocal), Patrick Wilson (bateria), Brian Bell (guitarra, teclados) e Scott Shriner (baixo) entraram no palco executando a clássica “Buddy Holly” para delírio dos fãs presentes. E, para começar o show em alto astral, na sequência tivemos “Undone – The Sweater Song” e “Hash Pipe”.

River Cuomos agradeceu a presença de todos e tocara mais uma canção do primeiro disco conhecido como ‘Blue Album’ – dos 13 álbuns da banda, 6 são chamados apenas “Weezer” e por isso conhecidos pela cor da capa –, “My Name Is Jonas”, seguida pelo primeiro cover da noite, “Happy Together” da banda The Turtles. Estes dois álbuns –  ‘Blue Album’ e o álbum de covers ‘Teal Album’ – formaram a base do repertório do show. 

A quantidade de covers executados no show gerou certa polêmica entre os fãs: enquanto alguns curtiram bastante, outros acharam um exagero pelo fato de nem todos os álbuns serem “representados” no repertório. Apenas para constar, este que vos escreve achou muito bem selecionados e com uma “cara de Weezer”.  Polêmicas à parte, foi apresentada uma nova canção chamada “The End Of The Game” e praticamente todos os sucessos foram lembrados. Pode-se até sentir a ausência de uma ou outra música, mas estamos falando de uma banda com uma extensa carreira se apresentando pela primeira vez a seus fãs paulistanos.

A parte final do show com “Pork and Beans”, “Beverly Hills” e “Lithium” (Nirvana) encerrou a apresentação no mesmo astral do início. Voltaram para o bis com uma versão bem inusitada de “Buddy Holly” executada “à capela” e “Say It Ain’t So” encerrando com maestria o show. Com todos estes anos de estrada, o Weezer é uma banda bastante entrosada no palco. E o que dizer do seu líder, Rivers Cuomo? Com uma fama de “nerd tímido” – por conta de seu visual de óculos de aros grossos e blusas de malha que usava no início de carreira –, ele se transforma em um frotman de primeira categoria quando entra no palco, mantendo a plateia na mão durante toda a apresentação. Há ainda que se ressaltar seu esforço para se comunicar em português durante praticamente todo o show, algo que foi muito além do corriqueiro “muito obrigado”.

Se eu fosse escolher uma palavra para definir o show, esta seria “diversão”. A mescla de rock garageiro com surf music funciona muito bem ao vivo e a banda toca como se estivesse realmente se divertindo em uma festa de amigos. Espero que, a partir de agora, eles sempre apareçam para visitar seus amigos na parte de baixo da linha do Equador. Agradecimentos à Catto Comunicação e Mercury Concerts.

Set List Weezer:
Buddy Holly
Undone – The Sweater Song
Hash Pipe
My Name Is Jonas
Happy Together (The Turtles cover)
Holiday
Island In The Sun
Perfect Situation
Take On Me (A-ha cover)
The End Of The Game
Surf Wax America
Africa (Toto cover)
The Good Life
El Scorcho
Paranoid (Black Sabbath cover)
Pork And Beans
Beverly Hlls
Lithium (Nirvana cover)

Buddy Holly (versão à capela)
Say It Ain’t So

(Visited 43 times, 3 visits today)