Bon Jovi e Goo Goo Dolls – 25-09-2019 – São Paulo (Allianz Parque)

Texto por André Luiz – Fotos por Staff Images Allianz Parque (Live Nation) – Edição por André Luiz

Encerrando a aclamada turnê “This House Is Not For Sale”, o Bon Jovi aportou novamente no Brasil para uma sequência de shows em Recife, São Paulo, Curitiba e no festival Rock In Rio como headliner de uma das noites. Esta é a segunda passagem da banda pela atual tour de promoção do álbum ‘This House Is Not For Sale’, lançado no final de 2016, e desta vez contando com a participação especial da clássica Goo Goo Dolls, estreando no país, divulgando o disco ‘Miracle Pill’ lançado este ano.

Após pequeno atraso, os norte americanos da cidade de Buffalo surgiram no palco às 19h04m com a dobradinha empolgante formada por “Big Machine” e “Slide”, destacando-se a luz sensacional e telões de alta definição. Após a interação inicial de Johnny Rzeznik, executaram a primeira faixa do novo álbum na noite, “Indestructible”, bem recebida pelos presentes. “É incrível estar aqui hoje, muito obrigado” discursou o vocal, antes de anunciar “Here Is Gone”, porém o primeiro grande momento da noite surgiu com a intro característica do clássico “Black Balloon”, a qual finalmente levantou os presentes na base das palmas. Johnny trocou seu violão por uma guitarra e executaram “So Alive” – não presente no set list de Recife –, momento no qual pela primeira vez Johnny foi para passarela e andou pelos lados do palco, incitando a participação do público no ritmo do “eh eh eh” da canção, com um “obrigado” em português ao final.

Debutando no Brasil, o Goo Goo Dolls foi formado em 1986 e além da dupla Johnny Rzeznik (vocal, guitarra) e Robby Takac (baixo, vocal) conta com os músicos de tour Brad Fernquist (guitarra, mandolin), Craig Macintyre (bateria) e Jim McGorman (teclado). Divulgando o recém lançado álbum, foi exatamente a faixa título que Johnny deu início após breve discurso, “Miracle Pill”.

Violão novamente empunhado, Rzeznik comentou que se a próxima faixa se tratava da primeira lançada nas rádios e iniciou o petardo “Name”. A sequência se deu com “Come To Me” e seu ritmo cadenciado em uma pegada meio country e melodia grudenta. Johnny retomou sua guitarra enquanto Robby assumiu os vocais de “Bringing On The Night” e o guitar percorria os lados do palco cativando o público – descalço e sorrindo a todo momento, Robby demonstrava que se divertia on stage. Seguiram com a empolgante “Stay With You”.

“Este som é para vocês meus amigos” discursou Johnny com seu violão em mãos, iniciando “Better Days”. Já “Broadway” foi um dos momentos de empolgação dos músicos, com a dupla principal despontando na passarela após um “obrigado por nos ouvirem” durante o solo e depois retornando para continuar a canção do palco. Mas o grande momento da apresentação se deu na execução do maior sucesso do grupo, “Iris”, com mar de celulares no Allianz Parque, banda empolgada e o final celebrado às 20h02m. Com 33 anos de carreira e 12 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo, é estranho o Goo Goo Dolls aportar apenas em 2019 no Brasil – segundo os músicos, devido ao ex-empresário da banda –, mas o cartão de visitas foi muito bem recebido pelos paulistanos. Espera-se uma maior divulgação do recém lançado ‘Miracle Pill’, para que o duo e banda retornem ao país com um show completo, afinal, Goo Goo Dolls é muito mais do que “Iris”, “Name” e outros clássicos.

Set List Goo Goo Dolls:
Big Machine
Slide
Indestructible
Here Is Gone
Black Balloon
So Alive
Miracle Pill
Name
Come To Me
Bringing On The Light
Stay With You
Better Days
Broadway
Iris

O clima no Allianz Parque estava fantástico. Em meio a olas no estádio enquanto o palco era arrumado, o início se deu com atraso, às 20h35m, através da faixa título do mais recente álbum de estúdio, “This House Is Not For Sale”, já emendada com o clássico do ‘New Jersey’ de 1988, “Born To Be My Baby”, momento espetacular com Jon puxando o coral de “nanananana” e o Allianz Parque bradando alto. Jon buscou seu violão e deu início a faixa “Lost Highway” com estrada no telão ao fundo, seguida por mais uma faixa recente, “Knockout”.

Após dança um tanto quanto peculiar, o frontman discursou “meu querido São Paulo Brasil (em português), é ótimo estar de volta aqui, todos, deixem me vê-los” e iniciou o clássico “You Give Love A Bad Name” entoado a plenos pulmões por todos presentes. “Roller Coaster” é a típica faixa animada da fase “bonjovista” mais recente, e foi seguida pela levada no melhor estilo country de “Whole Lot Of Leavin’” e a celebrada “We Weren’t Born To Follow”.

Embora Jon Bon Jovi conte no line up oficial da banda com a companhia de Phil X (guitarra), Hugh McDonald (baixo) e os velhos amigos membros fundadores da banda Tico Torres (bateria) e David Bryan (teclados), ao vivo estes possuem a companhia de dois experientes parceiros: Everett Bradley (percussão) é um músico de várias facetas, velho conhecido de Jon de outras tours, o multi instrumentista, compositor, cantor e coreógrafo já atuou com Bruce Springsteen e Hall & Oates entre tantos outros nomes; já John Shanks (guitarra) colaborou com músicos de diferentes estilos seja escrevendo/produzindo músicas ou atuando como guitarrista, de Westlife e Celine Dion à Goo Goo Dolls e Van Halen, passando por Sheryl Crow, Miley Cyrus, Enrique Iglesias, The Corrs, Joe Cocker, Alanis Morissette, Sting… Phil X desde 2013 substitui o guitar hero Richie Sambora, mas além do citado guitarrista as apresentações ao vivo contam com um suporte todo especial de backing vocals, até devido a idade de Jon e problemas que o mesmo teve com a voz, apoio este que ganha notoriedade no decorrer da apresentação pelas performances individuais, duelos entre percussão/bateria e dupla de guitarras com teclado.

A última palavra citada foi teclado? O que dizer da intro de David Bryan para a primeira faixa de sucesso da banda, “Runaway”, e Jon brincando com o público para gritarem alto do contrário não iniciariam a música – precisava? “Eu acho que vocês conhecem esta” comentou o frontman antes do início do petardo “It’s My Life” que fez o Allianz parque pulsar, tamanha participação do público. Já “In These Arms” trouxe David Brian nos vocais e Jon ao violão, em um dos momentos mais sensacionais da noite. “Have A Nice Day” contou com cartazes da capa do single levantados pelo público, em 4-5 minutos de pura nostalgia, alegrando os músicos, os quais puxados por Jon, aplaudiram a participação dos presentes ao final da canção.

O início da base de baixo para o clássico que leva o nome do álbum de 1992, “Keep The Faith”, trouxe interação do público, guitars nos lados do grandioso palco durante o solo, percussão e a bateria de Tico Torres interagindo e a explosão com o refrão. Phil X e John Shanks revezaram na passarela solando em meio ao público enquanto Jon deu rápida saída do palco, David Brian deu show nos teclados enquanto Tico Torres e Everett Bradley duelavam com percussão e bateria, fantástico momento instrumental. Jon retornou trajando outra jaqueta e cumprimentou os músicos, com Allianz Parque iluminado por celulares dando a atmosfera perfeita para intimista faixa acústica “Amen”. Mas se a Interpretação pessoal de Jon encaixou-se perfeitamente na proposta de show da banda, o que dizer de “Bed Of Roses”? Com direito a danças com duas moças na passarela – o momento galã que não falta nos shows da banda – , o frontman ao fim deixou o público cantando sozinho ao ritmo do cativante instrumental.

“Lay Your Hands On Me” possui aquela intro arremetendo aos órgãos de igreja, e empolgou o público o qual cantou o coral de “oh oh oh” na base das palmas sendo regido por Jon – interação fantástica entre público e banda para a faixa inicial do ‘New Jersey’ de 1988. A cativante “We Don’t Run” foi bem recepcionada pelos presentes, com interpretação muito boa e backing vocals dando a tônica. Mas em “Wanted Dead Or Alive” a nostalgia é o tom, em uma interceptação espetacular de Jon e Phil X simplesmente roubando a cena na guitarra. Após o clássico do ‘Slippery When Wet’ de 1986, o frontman regeu as palmas do público no ritmo do petardo “I’ll Sleep When I’m Dead”, faixa esta emendada com “Bad Medicine”: público cantando alto, alvoroço na interação de Jon com todos, demonstração do entrosamento da banda, teclado característico dando o tom junto a força da bateria de Tico Torres – o veterano no auge de seus 65 anos de idade, histórico de gravação com Miles Davis e que tocou ao vivo com o mítico Chuck Berry.

Após breve saída do palco, o retorno deu-se com “Blood On Blood”, celebrada por todos, mas nada a se comparar a execução de “Livin’ On A Prayer” na qual o público bradou alto ao som da intro no teclado e pulou no ritmo do hino bonjovista do ‘Slippery When Wet’ de 1986. Em meio ao êxtase no Allianz Parque lotado, o encerramento ocorreu às 22h54m, para satisfação das mais de 45mil pessoas de mais esta apresentação sold out do Bon Jovi em solo paulistano. Tendo em vista os problemas nas cordas vocais de Jon – o mesmo inclusive revelou em entrevista que em determinados momentos faz uso de esteroides para conseguir suportar a carga de shows –, a estratégia do reforço aos backing vocals na banda e técnicas vocais do frontman mais adequadas a seu atual momento acaba sustentando por maior tempo o show do grupo – nada como as quase três horas de apresentação em 2010 no Morumbi, mas ainda em alto nível. O conjunto de músicos ao vivo funciona muito bem e Jon, este continua sendo um maestro regendo os milhares de fãs presentes nas performances de uma das únicas bandas de estádio remanescente no planeta. O anúncio de um novo álbum para 2020 com certeza trará o Bon Jovi novamente ao Brasil, principalmente após duas passagens do grupo pelo país com a aclamada tour do ‘This House Is Not For Sale’, a única certeza que temos é um novo show sold out em São Paulo – alguém duvida? Agradecimentos à Motisuki Press e Live Nation.

Set List Bon Jovi:
This House Is Not For Sale
Born To Be My Baby
Lost Highway
Knockout
You Give Love A Bad Name
Roller Coaster
Whole Lot Of Leavin’
We Weren’t Born To Follow
Runaway
It’s My Life
In These Arms
Have A Nice Day
Keep The Faith
Amen
Bed Of Roses
Lay Your Hands On Me
We Don’t Run
Wanted Dead Or Alive
I’ll Sleep When I’m Dead
Bad MedicineBlood On Blood
Livin’ On A Prayer

(Visited 60 times, 4 visits today)