Guns N Roses – 15-11-2016 – Rio de Janeiro (Engenhão)

guns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-viiTexto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Katarina Benzova Mercury Concerts – Edição por André Luiz

Por anos, a volta da formação considerada clássica do Guns N’ Roses esteve no topo da lista de boatos e anseios dos fãs. Em 2016, o que parecia impossível, finalmente aconteceu – mesmo que parcialmente – com os retornos do guitarrista Slash e do baixista Duff McKagan. Após alguns shows na América do Norte, os brasileiros foram contemplados com uma turnê de seis shows no país. E na noite de terça-feira, 15, foi a vez do Rio de Janeiro receber o show da turnê “Not In This Lifetime Latin America Tour”. Os cariocas que compareceram ao Engenhão em bom número puderam presenciar ótima apresentação, com uma banda afiada, tocando por quase duas horas e meia e passando por diversas fases da carreira.

Na abertura, a banda Plebe Rude, que já havia desempenhado o mesmo papel em 2014, repetiu a dose a convite da banda. O grupo brasiliense, um dos percursores da famosa cena de rock da capital federal, está comemorando 35 anos de estrada e atualmente divulga o trabalho ‘Nação Daltônica’, o qual emprestou duas músicas para o repertório – “Anos de Luta” e “Sua História”. Mas foi no fim do show com “Proteção” e “Até Quando Esperar” que o público participou mais e cantou junto.

guns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-iii

Quando os telões se acenderam e as armas do logo do Guns N’ Roses começaram a dar tiros, foi a senha para que o público se aglomerasse diante do palco porque o show já estava para começar. Com cerca de 18 minutos de atraso, um a um os músicos foram aparecendo no palco e iniciaram a apresentação com rendições excelentes dos sucessos “It’s So Easy” e “Mr. Brownstone”. “Chinese Democracy”, faixa título do último álbum de estúdio da banda lançado em 2008, empolgou os presentes, mas foi na quarta música, “Welcome To The Jungle”, que os milhares de fãs passaram a jogar junto. A dobradinha “Double Talkin’ Jive” e “Better” – pinçada do álbum ‘Chinese Democracy’ para o repertório, com praticamente toda a banda apoiando Axl em harmonizações – mantiveram o ânimo em alta. “Estranged”, uma das favoritas do público e que raramente era tocada ao vivo até outro dia, e “Live And Let Die”, colocaram o público para cantar a plenos pulmões.

A partir de “Rocket Queen”, a apresentação tomou um rumo tanto quanto problemático, com a banda engajando em jams e estendendo demais algumas músicas, quebrando demais o ritmo da apresentação. Fato esse que nem o clássico “You Could Be Mine”, trilha sonora do filme “Exterminador do Furturo 2”, apresentada aqui em ritmo aceleradíssimo conseguiu contornar. Ainda que as longas improvisações no meio da música sirvam para dar à Axl a chance de recuperar o fôlego em meio a um repertório difícil e aguentar as mais de duas horas de show, em alguns momentos o show acaba ficando arrastado.

guns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts

Prosseguindo com a peleja, a banda executou um cover para “Attitude”, do Misfits, com Duff se encarregando dos vocais antes de Axl retornar para uma performance emocionante em “This I Love”. Após executarem “Civil War” e “Coma” – o único momento da noite no qual a voz de Axl deu uma vacilada –, Slash se posicionou na frente do palco para o momento mais esperado da noite. Com sua famosa Gibson Les Paul em punho, o guitarrista começou a tocar o riff de “Sweet Child O’ Mine” – facilmente um dos mais reconhecidos da história – e fez o público explodir em um misto de alegria e cantoria, que contemplou até mesmo as partes de guitarra e se estendeu até “Yesterdays” antes de a banda quebrar o ritmo novamente ao executar uma desnecessária versão de “Wish You Were Here”, do Pinky Floyd.

Felizmente tudo isso ficou para trás e a parte final do show foi um deleite para os fãs. Um dos momentos mais aguardados em um show do Guns, “November Rain”, com Axl cantando enquanto tocava piano na frente do palco, dessa vez não trouxe chuva, mas contou com bela festa por parte dos fãs e milhares de balões vermelhos antes do encerramento da primeira parte do show com os clássicos “Knocking On Heaven’s Door” e “Nightrain”. No retorno para o bis, ainda deu tempo para o Guns N’ Roses executar três músicas antes de deixar de vez o palco: “Don’t Cry”, “The Seeker” e a derradeira da noite, “Paradise City”, encerrando o show em meio a uma chuva de papel picado.

guns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-v

Em sua sétima passagem pela cidade, o Guns ‘N Roses fez um show à altura de suas tradições. Em cima do palco, Axl, Slash, Duff e companhia, embora não interajam muito uns com os outros fizeram um grande show e deram aos fãs uma apresentação com a qual até bem pouco tempo muitos podiam apenas sonhar. Bem verdade que tirados alguns excessos aqui e acolá, o show poderia ter tido uns 40 minutos a menos de duração que não teria feito mal algum. Mas nada disso importou para os milhares de fãs que compareceram ao Engenhão e continuaram a cantar as músicas já fora do estádio, no caminho para casa. Agradecimentos à Mercury Concerts e Catto Comunicação.

Set List Guns N’ Roses:
It’s So Easy
Mr. Brownstone
Chinese Democracy
Welcome To The Jungle
Double Talkin’ Jive
Better
Estranged
Live And Let Die
Rocket Queen
Out Ta Get Me
You Could Be Mine
Attitude
This I Love
Civil War
Coma
Speak Softly Love (Love Theme From The Godfather)
Sweet Child O’ Mine
Yesterday
Wish You Were Here
November Rain
Knockin’ on Heaven’s Door
Nightrain

Don’t Cry
The Seeker
Paradise City

guns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-viguns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-ivguns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-ii guns-n-roses-rj-nov-2016-fotos-por-katarina-benzova-mercury-concerts-i

 

(Visited 65 times, 1 visits today)