Jon Lord: três anos sem o lendário músico

Jon LordTexto por Arony Martins – o conteúdo expresso reflete a opinião do autor, é de inteira responsabilidade deste

Há exatamente três anos perdíamos a companhia de talvez um dos maiores e mais influentes músicos do rock em todos os tempos. Pianista e organista, Jon Lord que havia se aposentado em 2002, perdia uma longa batalha contra câncer no pâncreas deixando para todos um longo e vasto catálogo, principalmente no que diz respeito à banda que o notabilizou, o Deep Purple. Nascido em 9 de junho de 1941 na cidade inglesa de Leicester, Jonathan Douglas Lord foi incentivado desde muito cedo a desenvolver suas habilidades musicais. Aos cinco anos já estudava piano clássico incentivado principalmente por seu pai que era saxofonista. Sua maior influência era J. S. Bach, estando esta claramente presente em seus arranjos ao longo de sua carreira.

Jon Lord LiveSeus primeiros contatos com bandas se deram ainda na adolescência. Integrou o grupo ‘The Artwoods’ e ainda que fosse muito influenciada pelo Blues, Lord já trazia ao som da banda uma forma peculiar de tocar àquele que foi o órgão que o notabilizou mundialmente, o Hammond. Unindo-o a um amplificador Leslie, Jon conseguia uma sonoridade bastante agradável mas que em seu julgamento não era o que buscava. Ele queria algo mais gutural, mais rocker. Era um tecladista rítmico e precisava de um som que acompanhasse Ritchie Blackmore. E assim promoveu uma das inovações mais importantes da história da música. Algo que revolucionou não somente o estilo mas tudo aquilo que envolveu a sonoridade dos teclados desde então. Ao ligar o Hammond direto a um amplificador Marshall com sua característica distorção, Lord conseguiu o que chamou de “Fera”, o som que buscava para o Deep Purple.

https://www.youtube.com/watch?v=guYSU_mmyb8

E assim como dizia Ian Gillan, Jon foi a grande liderança e principal arranjador do grupo. Era o “Poderoso Chefão” responsável por uma carreira pra lá de bem sucedida. Com o fim da banda em 1976, Lord e Ian Paice se juntam a David Coverdale, então vocalista do extinto Deep Purple, no Whitesnake, onde ficaria até 1984, quando o Purple resolve retornar a ativa e no qual permaneceu até sua aposentadoria.

Jon Lord foi daqueles músicos em que a experiência emanava através de suas poucas palavras e da série de notas musicais e acordes tocados a cada apresentação. Persistente, impedia que idéias fossem deixadas de lado nos processos de composição. Tudo deveria ser aproveitado. Era um músico que gostava de ouvir o que seus companheiros tinham a apresentar. E cordialmente trabalhava para que cada álbum gravado fosse superior ao anterior. Um verdadeiro maestro. Um verdadeiro Lord. Assim foi Jon. E assim sempre o saudaremos.

(Visited 106 times, 1 visits today)