Judas Priest & Whitesnake – 10-09-2011 – São Paulo – SP (Arena Anhembi)

Por Juliana Lorencini
Fotos por Juliana Lorencini

No último sábado dia 10 de setembro, a cidade de São Paulo foi palco de mais um grande encontro do rock mundial. Dois nomes de peso dentro do Heavy Metal e do Hard Rock se apresentaram juntos, numa noite inesquecível na Arena Anhembi. Essa não foi a primeira vez que Judas Priest e Whitesnake dividem o mesmo palco no Brasil, em 2005 as duas bandas já haviam excursionado juntas pelo país. Mas desta vez o clima de despedida de uma das mais importantes bandas do heavy metal tradicional, Judas Priest, deu um gosto especial a noite, já o Whitesnake, está en turnê para divulgar seu mais recente albúm “Forevermore”.

Pontualmente as 20h, o Whitesnake sobe ao palco, ovacionado pelo público que aguardava ansiosamente pela banda, a primera faixa escolhida por David Coverdale (vocal), Reb Beach (guitarra), Doug Aldrich (guitarra), Michael Devin (baixo), Brian Tichy (bateria) e Brian Ruedy (teclado) para abrir a noite é “Best Years” que foi seguida por “Give Me All Your Love”, “Love Ain’t No Stranger”, “Is This Love” e “Steal Your Heart Away”.

O Whitesnake trouxe aos fãs uma mistura quase que perfeita em os clássicos e as músicas de seus trabalhos mais recentes “Good to be bad” e “Forevemore”, os dois muitos parecidos em sua sonoridade num todo, onde a química entre Coverdale e Doug Alderich fica muito clara.

Lógicamente uma banda com tantos de estrada e inúmeros clássicos não conseguiria em um show de abertura, com pouco mais de uma hora, trazer todos os clássicos aos fãs, “The Deeper the Love”, minha música favorita da banda, teve apenas a primeira frase do refrão cantada, alguns sorrisos de Coverdale e logo “Forevermore” trouxe seus primeiros acordes.

A versão acústica de “Soldier of Fortune” foi com toda certeza uma grande surpresa para até mesmo para os fãs mais fevorosos da banda. Já em “Still of the Night” Coverdale pode mostrar que apenas de tantos anos a frente do Whitesnake, sua voz assim como sua incrível performace como frontman continua inabalável. Entre milhares de sorrisos, brincadeiras com o público e seu velho hábito de jogar o pedestal para cima, além das tipicas dançinhas de costas para a platéia, o vocalista ainda arranca muitos suspiros do público feminino!

Quanto aos solos da noite, Reb Beach e Doug Aldrich souberam muito bem como dividir o palco, já o baterista Brian Tichy apesar do talento, me fez sentir um pouco de falta de Tommy Aldridge conduzindo as baquetas. Para fechar a noite, como não poderia faltar “Burn” seguida de “Stormbringer” dois grandes clássicos da época do Deep Purple.

O Whitesnake provou não que isso fosse necessário, o porquê de estar entre os grandes nomes do Hard Rock mundial, e porque até hoje mantém seu posto, com uma apresentação memorável que só pecou pela falta de tempo.

Os fãs mais ardorosos como eu, já aguardam por um retorno da banda, mas que dá próxima vez venha como headliner.

Set List Whitesnake

Best Years
Give Me All Your Love
Love Ain’t No Stranger
Is This Love
Steal Your Heart Away
Forevermore
Duelo de guitarras
Love Will Set You Free
Solo de Bateria
Here I Go Again
Still of the Night
Soldier of Fortune (Deep Purple cover)
Burn / Stormbringer (Deep Purple cover)

Coverdale e sua trupe já haviam deixado o palco a aproximadamente 40 min, quando uma enorme cortina vermelha onde se lia “Epitaph”, sim o Judas Priest estava muito próximo de subir ao palco, até que em poucos segundos Rob Halford (Vocal), Scott Travis (bateria), Ian Hill (baixo, Richie Faulkner (guitarra) e Glenn Tipton (guitarra) estavam lá, diante de um grande público que se perdia entre observar o palco tradizo pela banda patra essa turnê de despedida ou acompanhar os movimentos dos músicos.

É notável que a produção escolhida para esse show foi a maior já trazida pela banda ao país, o posionamento do palco e dos integrantes não foge ao tradional, mas dessa vez ao invés de elevadores que transfortavam Halford de um canto ao outro do palco, em diversos momentos chamas de fogo e um telão imenso que trazia imagens dos albuns da banda serviram de pano de fundo.

Começam com “Rapid Fire” e sem dar nenhuma pausa já emendam com “Metal Gods” e “Heading Out to the Highway”.

É incrível ver como o Judas Priest no palco funciona bem junto, e faz tornar o momento grandioso. Richie Faulkner e Glenn Tipton por diversas vezes vem a frente para dividir solos, o novo guitarrista que substitui K.K. Downing parece ter sido prontamente aprovado pelos fãs. Rob Halford dispensa comentários, até mesmo nos agudos mais aguardados da noite, ele não desaponta. Além de circular pelo palco e esboçar algumas danças bem lá sua maneira.

O Judas passa por clássicos como “Diamonds & Rust” (Joan Baez cover), e “Turbo Lover”, e até mesmo em “Breaking the Law”, onde Rob Halford a algum tempo deixa o vocal apenas para o público enquanto anda de um lado ao outro do palco apenas ensaiando cantá-la, foi um momento mágico.

Chega então o momento que não poderia faltar e já se tornou uma marca tanto das apresentações do Judas Priest como de Halford em si, após uma pequena pausa, a banda volta para o bis, e lá está Halford entrando ao palco sua Harley Davidson, modelo feito pela marca especialmente para o vocalista. Com um chicote na boca, luvas pretas e um sobretudo prateado, Halford canta boa parte de “Hell Bent for Leather” sentado sobre moto.

Para encerar, mais uma vez, como na última vez que os vi ao vivo em 2008, Halford canta as últimas faixas com uma bandeira do Brasil lhe servindo como capa. As escolhidas para encerrar essa grande noite foram “You’ve Got Another Thing Comin’” e “Living After Midnight”.

Eu honestamente não acredito que essa tenha sido a última turnê da banda, porém, foi uma noite incrível, o Judas trouxe toda sua vitalidade para o palco, tocou diversos clássicos e até até Nostradamus álbum de 2008 que não havia sido muito bem recido pelos fãs e críticas quando lançado, esteve presente e foi bem recebido pelo público.

Não é por menos que o Judas Priest é tido como uma das maiores bandas de Heavy Metal tradional e vêm a nos influenciando muitas outras. Para aqueles que perderam esse momento, torçam para que eu esteja certa e a banda retorne em breve!

Set List Judas Priest

Rapid Fire
Metal Gods
Heading Out to the Highway
Judas Rising
Starbreaker
Victim of Changes
Never Satisfied
Diamonds & Rust (Joan Baez cover)
Dawn Of Creation
Prophecy
Night Crawler
Turbo Lover
Beyond the Realms of Death
The Sentinel
Blood Red Skies
The Green Manalishi (Fleetwood Mac cover)
Breaking the Law
Solo de bateria/Painkiller

Bis I:

The Hellion/Electric Eye
Hell Bent for Leather
You’ve Got Another Thing Comin’

Bis II:

Living After Midnight

(Visited 25 times, 1 visits today)