Liam Gallagher – 15-11-2022 – São Paulo (Espaço Unimed)

Texto por Alvaro Ramos – Fotos por Stephan Solon (Midiorama) – Edição por André Luiz

Quatro anos e uma pandemia depois de sua última passagem por aqui, Liam Gallagher retornou ao Brasil para dois shows, passando por São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente. O ex-Oasis trouxe a turnê do disco ‘C’mon You Know’ para São Paulo em um show que aconteceu no feriado de 15 de novembro, e o local escolhido para a noite histórica foi o Espaço Unimed (antigo Espaço das Américas).

Com filas que horas antes já contornavam o quarteirão, o Espaço Unimed abriu as suas portas aproximadamente uma hora e meia antes do horário marcado para a apresentação. O público aguardou ansiosamente até que, com a pontualidade britânica esperada do “garoto” de Manchester, após os PA’s do Espaço Unimed executarem “I Am The Ressurection” (The Stone Roses), cântico do Manchester City (time de futebol pelo qual o protagonista da noite é fanático torcedor) e “Fuckin’ In The Bushes” (Oasis), Liam Gallagher surgiu no palco às 21h30m para iniciar a apresentação no maior gás possível com “Morning Glory”, faixa-título do segundo álbum do Oasis, ‘(What’s The Story) Morning Glory’.

Já no início do show ficou claro o poder de Liam e sua banda de apoio sobre o público, o qual cantou em alto e bom tom cada trecho da letra de “Rock’n’Roll Star”, outro clássico da sua ex-banda. Mas, nem só de Oasis vive Liam Gallagher, e isso ficou nítido: as músicas de seus trabalhos solo que vieram na sequência também foram cantadas como hinos pela legião de fãs que lá estavam. Aliás, “Everything’s Electric”, faixa do seu mais recente disco solo (‘C’mon You Know’, lançado em 2022), foi na opinião deste que vos escreve um dos momentos mais marcantes do show. Além dela, outras faixas dos seus três trabalhos solo como “Once”, “The River”, “Diamonds In The Dark”, “Wall Of Glass” e “More Power” (esta última dedicada ao seu irmão e ex-companheiro de banda, Noel Gallagher) foram mescladas no set list aos clássicos de quase todas as fases do Oasis.

Liam se lembrou também de fazer um agrado para os fãs do saudoso Beady Eye, projeto do qual ele fez parte após o fim do Oasis, no período entre 2009 e 2014. “Soul Love”, do segundo e último álbum da banda foi a faixa que representou esse período da carreira de Liam Gallagher – antes dela, o vocalista brincou dizendo que “tocaria um Slipknot”. Já “Stand By Me” – ao fim, imagens exibidas no telão de um fã portando cartaz saudando Paul “Bonehead” Arthurs, guitarrista afastado para tratar de um câncer e a saudação do frontman ao integrante de sua banda de apoio ausente na tour –, “Roll it Over”, “Slide Away”, “Some Might Say” e “Supersonic” foram as músicas selecionadas para complementar o repertório e celebrar a discografia do Oasis, levando os fãs à loucura. A banda de apoio de Liam contou com oito músicos, sendo três guitarristas (Barrie Cadogan, Jay Mehler e Michael Moore), duas backing vocals (Frida Touray e Holly Quin-Ankrah), o baixista Drew McConnell, Dan MacDougall na bateria e por fim, Christian Madden no piano e teclado.

Antes de encerrar a primeira parte do show, Liam, que na maior parte do show fala pouco, aproveitou para homenagear os jogadores de futebol Gabriel Jesus e o goleiro Ederson, dedicando a eles “Wonderwall”, um dos maiores – senão o maior – sucessos de sua carreira. Após um breve intervalo, Liam e sua banda voltaram ao palco para o bis, fechando o repertório da noite com dois clássicos incontestáveis do Oasis; “Live Forever” dedicada a um fã o qual trajava jaqueta com o nome da canção e, após o vocalista desejar “feliz natal e que todos continuassem belos”, a catarse instantânea em “Champagne Supernova”, fazendo o público cantar e pular sem parar.

Durante mais de uma hora e meia, Liam Gallagher soube mesclar com maestria um repertório que não ficou preso ao passado; Oasis, carreira solo e até mesmo uma música do Beady Eye se combinaram para fazer um repertório inesquecível para aqueles que tiveram a sorte de presenciar o show. Com seu jeito único que só os fãs dos irmãos Gallagher conseguem entender, Liam provou mais uma vez que consegue levar o público na mão mesmo com poucas palavras e com seu jeito marrento, fazendo desta forma o que segundo muitos dos presentes repetiram ao fim da noite, o melhor show de Liam Gallagher em São Paulo até então (agradecimentos à Midiorama, Move Concerts e Espaço Unimed).

Set List Liam Gallagher:
Morning Glory
Rock ’n’ Roll Star
Wall Of Glass
Everything’s Electric
Stand By Me
Roll It Over
Slide Away
More Power
Soul Love (Beady Eye cover)
Diamond In The Dark
The River
Once
Some Might Say
Supersonic
Wonderwall

Live Forever
Champagne Supernova

(Visited 553 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *