A-HA – 18-07-2022 – São Paulo (Espaço Unimed)

Texto por André Luiz – Fotos por Stephan Solon (Midiorama/Move Concerts) – Edição por André Luiz

Após alguns reagendamentos decorrentes da pandemia do covid-19, finalmente a turnê mundial do a-ha para celebração do aniversário de 35 anos do álbum ‘Hunting High And Low’ aportou no Brasil. A banda norueguesa, no alto de suas quatro décadas de carreira, retornou ao país para apresentações sold out em São Paulo (duas), Recife e Rio de Janeiro, além de shows concorridos em Salvador, Belo Horizonte e Curitiba.

Magne Furuholmen, Morten Harket e Paul Waaktaar-Savoy, acompanhados de uma entrosada banda, prometiam trazer aos presentes um repertório clássico, já calibrado pela execução do debut album na íntegra, mas o que se viu em um Espaço Unimed lotado foi deslumbrante. A primeira das duas noites sold out na capital paulista transformou a rotina dos arredores da casa de shows, habituada ao trânsito da “hora de rush” em plena segunda-feira, e ainda tendo como companhia uma partida de futebol no Allianz Parque: o show programado para iniciar às 21h30m e o jogo às 20h aliada a rotina da rede pública de transporte, terminal rodoviário e trânsito literalmente super-popularam a região do final de tarde até meados da 0h, conforme informações de trabalhadores locais.

Alheios as características da logística paulistana, os fãs aguardavam avidamente o início da apresentação dos noruegueses. Os primeiros gritos surgiram assim que o logo da banda foi exibido nos telões da casa de shows, mas a velha frase do “ali se faria história” viria à tona a partir das 21h33m, quando as luzes do Espaço Unimed se apagaram e, após curta intro, os músicos surgiram no palco para “Sycamore Leaves” (do ‘East Of The Sun, West Of The Moon’ de 1990). “Hello São Paulo, vocês estão bem?” questionou Mags (como comumente é citado Magne Furuholmen) em meio ao início de “The Swing Of Things” (‘Scoundrel Days’ de 1986), sendo ovacionado pelos presentes; mas a casa de shows viria abaixo mesmo com a intro de tempestade nos PA’s do Espaço Unimed, anunciando a clássica versão da música dos anos 60 lançada originalmente por Carole King, “Crying In The Rain”, presente no disco de 1990 ‘East Of The Sun, West Of The Moon’: em meio a interpretação (e “mar de celulares” característico da época das lives) de um Harket simplório sob as luzes azuis do palco enquanto Paul brilhou no solo de guitarra, culminando nas palmas ao fim com agradecimentos da banda durante o instrumental estendido.

“Obrigado, boa noite, tudo bem? Estamos felizes de estarmos aqui” discursou Mags em português, na sequência agradecendo a todos, brincou com seu português carregado de sotaque, comentou sobre o período na pandemia, o retorno com o novo álbum “True North” e portando seu violão anunciou a faixa deste disco, “Forest For The Trees” – durante os shows no Brasil, a banda tem revezado esta e “You Have What It Takes” no set list. O retorno de Magne Furuholmen (teclado, guitarra, baixo, backing vocal), Morten Harket (vocal, guitarra) e Paul Waaktaar-Savoy (guitarra, bateria, percussão, backing vocal) ao país contou com a banda de apoio formada por Karl-Oluf Wennerberg (bateria), Even Ormestad (baixo) e Erik Ljunggren (teclado) – a backing vocal Anneli Drecker, presentes nos últimos shows da tour europeia, não foi incluída nesta passagem pelo Brasil. O intuito era celebrar o aniversário de 35 anos do disco ‘Hunting High And Low’, portanto, com um “bem-vindos à 1985” de Mags, o a-ha iniciou a execução do clássico álbum por “Train Of Thought”, seguida pelo sensacional momento da faixa título, durante o qual público cantou em uníssono – era comum ver pessoas emocionadas na pista, seja sozinha ou abraçando seus respectivos pares –, Morten interagiu pela primeira vez diretamente com os presentes e regeu o público no coral do refrão.

A contagiante “The Blue Sky” e “Living A Boy’s Adventure Tale” – com Paul também ao teclado assim como o baixista Even Ormestad, formando um “quarteto de teclas” no palco – seguiram a performance dos noruegueses. O público demonstrou-se animado durante “The Sun Always Shines On T.V.”, desde a intro cadenciada até a parte dançante com show de luzes transformando a casa de shows em uma discoteca oitentista. Magne agradeceu ao público, perguntou se lembrávamos deste período, e iniciou a intro no teclado de “And You Tell Me” com destaque para Morten recitando a canção ao lado de Paul e seu violão. Waaktaar-Savoy retomou a pose de sua guitarra e acompanhou a intro de Karl-Oluf Wennerberg na bateria em “Love Is Reason”, com o petardo explodindo na casa de shows em mais uma canção dançante da noite, emendada em “I Dream Myself Alive”. Finalizando (brevemente) o momento 1985 da noite, seguiu o clássico “Here I Stand And Face The Rain’ com Paul ao violão e o trio Mags-Morten-Paul no coral do refrão, até o solo quando Savoy retomou sua guitarra, perambulou pelo palco interagindo primeiramente com os vocais de Morten e depois o teclado de Magne até o fim da canção.

“Thank you, obrigado” agradeceu Magne antes do início de outro clássico (do ‘Stay On These Roads’ de 1988), “The Blood That Moves The Body”, regado a palmas dos presentes. Morten fez as vezes do agradecimento ao fim da canção, e o início de “We’re Looking For The Whales” – dando início a uma trinca de faixas do ‘Scoundrel Days’ de 1986 – marcante pelo strobe ao fundo do palco no ritmo do teclado e luz predominantemente azul dando o tom do ambiente no dado momento. Em mais um episódio dançante da noite, “Cry Wolf” seguiu com palco escuro iluminado apenas pelos leds azuis do fundo com público muito ativo, Paul protagonizando a canção na guitarra, enquanto Karl-Oluf Wennerberg e Even Ormestad deram o tom do petardo clássico no baixo/bateria. A parte derradeira da primeira parte do show chegara, com público bradando alto o refrão de “I’ve Been Losing You” em meio a luz vermelho e laranja no palco. Magne agradeceu aos presentes, apresentou a banda de apoio e estendendo o instrumental no teclado até o fim questionou “vocês querem mais uma?” antes de “The Living Daylights” (do disco ‘Stay On These Roads’ de 1988): mais um (esta frase está se tornando redundante) grande momento da noite com público bradando o refrão em alto e bom som em meio ao show particular de Mags regendo o Espaço Unimed no meio do palco, interagindo com palmas, pulando, dançando polka e o finalizando a canção junto aos companheiros de banda. Os músicos se dirigiram ao backstage, mas todos sabiam que àquele não era o fim definitivo da apresentação…

O público gritava incessantemente o nome do clássico maior da banda, até o retorno dos músicos e a última faixa do ‘Hunting High And Low’ ser executada: “Take On Me” transformou o Espaço Unimed em uma grande pista de dança, energizada pelos milhares de presentes cantando, dançando e bradando a icônica canção em uníssono, encerrando a performance dos noruegueses às 23h09m com agradecimentos ao público e abraço dos músicos antes de deixarem o palco. Completando quatro décadas de carreira, com vasto repertório de sucesso, muitos fãs contestaram ausências de canções no set list como “You Are The One”, “Stay On These Roads”, “Touchy!”, “Move To Memphis”, ou mais recentes como “Lifelines”, “The Foot Of The Mountain” e a recém divulgada “I’m In” do próximo álbum ‘True North’ – segundo Mags, Morten ainda não está familiarizado com a música. Porém, consideremos a tour comemorativa do ‘HHaL’, o próprio Harket contraiu covid – junto à Paul – e laringite ao final de maio acarretando no cancelamento de alguns shows, mas o principal: com vasto catálogo, mesmo três horas de show não seria suficiente para saciar em 100% à todos. Todavia, mesmo o mais exigente fã se emocionou, cantou e apreciou uma noite memorável proporcionada por Mags, Morten e Paul em São Paulo, ao lado de milhares de presentes no Espaço Unimed (agradecimentos à Midiorama e Move Concerts).

Set List A-HA:
Sycamore Leaves
The Swing Of Things
Crying In The Rain (Carole King cover)
Forest For The Tree
Train Of Thought
Hunting High And Low
The Blue Sky
Living A Boy’s Adventure Tale
The Sun Always Shines On T.V.
And You Tell Me
Love Is Reason
I Dream Myself Alive
Here I Stand And Face The Rain
The Blood That Moves The Body
We’re Looking For The Whales
Cry Wolf
I’ve Been Losing You
The Living Daylights

Take On Me

(Visited 444 times, 8 visits today)

One thought on “A-HA – 18-07-2022 – São Paulo (Espaço Unimed)”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *