Cannibal Corpse: confira faixa Murderous Rampage e detalhes do novo álbum Violence Unimagined

Compartilhe:

Fonte: Cannibal Corpse

A banda norte-americana Cannibal Corpse divulgou “Murderous Rampage”, single que compõe o 15º álbum de estúdio do grupo, ‘Violence Unimagined’, com lançamento previsto para 16 de abril via Metal Blade Records.

Composto por onze faixas, ‘Violence Unimagined’ possui um death metal de última geração tocado com paixão e precisão de tirar o fôlego, resultando em outra adição perfeita ao que é indiscutivelmente uma das principais discografias do gênero. “Realmente segue o caminho que temos trilhado há alguns anos”, afirma o baixista e membro fundador Alex Webster. “Acho que sempre abordamos a escrita de uma maneira semelhante: cada um de nós tenta escrever as músicas mais pesadas e memoráveis que podemos. Queremos que cada música tenha sua própria identidade. Mostrando minha idade, gosto de dizer a vocês que podem ‘deixar cair a agulha’ (da vitrola) em qualquer ponto de um de nossos álbuns e rapidamente você dirá qual música nossa está ouvindo”. Confira abaixo a faixa “Murderous Rampage”:

Sempre aprimorando o gênero que ajudaram a definir, ‘Red Before Black’ de 2017 se destaca como um dos destaques de sua carreira. Desta forma, acompanhar em ‘Violence Unimagined’ não foi exatamente fácil, mas o Cannibal Corpse conseguiu, de alguma forma, elevar o nível novamente. A única mudança substancial no Cannibal Corpse em 2020 é a adição do guitarrista Erik Rutan, juntando-se ao Webster, o baterista fundador Paul Mazurkiewicz, o guitarrista Rob Barrett e o vocalista George “Corpsegrinder” Fisher. Conhecido por seus trabalhos no Morbid Angel, Ripping Corpse e mais notavelmente a frente do Hate Eternal, Rutan há muito se estabeleceu como uma das forças mais dinâmicas do death metal contemporâneo. Simultaneamente, ele construiu uma reputação como um dos produtores de metal mais requisitados da atualidade, tendo anteriormente produzido quatro álbuns do Cannibal Corpse, ao lado de nomes como Goatwhore, Soilent Green e Belphegor. Assumindo ao vivo a guitarra da banda desde 2019, em 2020 tornou-se membro titular, contribuindo com o processo de composição.

“Acho que a diferença mais notável neste álbum será a adição de Erik à banda. Ele escreveu três canções completas para o álbum, música e letras, sua composição e guitarra adicionaram algo novo, e acho que seu estilo musical encaixasse no nosso muito bem”, entusiasma-se Webster. Isso não é tudo o que ele traz para a banda. “Ele é um grande amigo nosso, então, em nível pessoal, ele se encaixou perfeitamente, como sabíamos que seria. Além disso, ele é uma das pessoas que mais trabalham duro que conheço, na música ou não, e mantém uma alta energia, comportamento positivo em situações desafiadoras em que outras pessoas podem tomar uma direção negativa. Essa energia e ótima atitude também afetam o resto de nós. É realmente uma situação perfeita para se ter quando você adiciona alguém a uma banda, ou qualquer tipo de equipe: alguém que é ótimo no que faz e também inspira as pessoas ao seu redor”.

Já bem conhecido pelo nível de extrema técnica que trazem a cada disco, em ‘Violence Unimagined’, o Cannibal Corpse aprimorou ainda mais seu jogo, particularmente na bateria de Mazurkiewicz. “Acho que todos nós nos esforçamos um pouco tecnicamente neste disco, com Paul provavelmente forçando ao máximo. Este álbum é provavelmente o álbum com a bateria mais intensa que já fizemos. Parte disso pode ser resultado da entrada de Erik na banda. Seu estilo de composição de canções frequentemente apresenta uma bateria tecnicamente desafiadora, provavelmente devido aos seus anos de experiência em death metal de alta velocidade”. E com um conteúdo lírico tipicamente dark e distorcido, Mazurkiewicz veio com o título apropriado para o álbum, “resumindo o que a banda faz em cada faceta, e levando a violência a outro nível de extremidade”.

Com Rutan na banda, tornou-se óbvia a escolha como produtor do álbum no Mana Recording em St. Petersburg, FL – sua base central de operação. Usar o estúdio para pré-produção, ao invés de seu espaço de ensaio, como de costume, foi um grande benefício desde o início, permitindo que eles entrassem no processo de gravação real melhor preparados do que nunca. No entanto, seus planos de gravar o álbum inteiramente juntos foram interrompidos pela pandemia do Covid-19, com Webster forçado a gravar suas faixas de baixo em seu estúdio caseiro. “Eu moro do outro lado do país agora, e isso não tinha sido um problema antes da pandemia, eu ainda podia ir para a Flórida sempre que necessário. Então, estava programado para voar para a gravação no início de abril de 2020 e, claro, foi no início de todos os bloqueios e restrições de viagens nos EUA, então eu não fui. Felizmente, tenho muita experiência em gravar faixas de baixo em casa, então não afetou o som do álbum. Eu mantive contato próximo com Erik e os outros caras durante todo o processo, e acabou sendo bem tranquilo. É claro que estou ansioso para gravar no grande estúdio com os caras para o próximo álbum, mas estou feliz que essa opção funcionou bem para nós”.

Logicamente, não seria um álbum do Cannibal Corpse sem uma obra de arte impressionante de Vince Locke, e em ‘Violence Unimagined’ não é diferente – desta vez, a capa apresentando uma mãe comendo seu próprio bebê, embora Webster admita que por motivos de censura, eles mandaram Locke fazer um peça complementar que será lançada mais amplamente.

Estando o Cannibal Corpse em seu trigésimo segundo ano de existência, Webster ainda tem a mesma vontade de fazer turnês e, embora incapaz de fazê-lo enquanto a crise da Covid-19 continuar, o baixista espera que não passe muito mais tempo para que eles possam voltar à estrada. Independentemente disso, ele está olhando para frente e não para o passado da banda. “Estamos muito animados para continuar este novo capítulo da banda com Erik a bordo. Acho que uma banda deve estar sempre trabalhando para melhorar e tentando fazer o que estamos fazendo atualmente, ou seja, a melhor coisa que já fizeram, então isso é o que faremos”.

Confira o track list de ‘Violence Unimagined’:

01 – Murderous Rampage
02 – Necrogenic Resurrection
03 – Inhumane Harvest
04 – Condemnation Contagion
05 – Surround, Kill, Devour
06 – Ritual Annihilation
07 – Follow The Blood
08 – Bound And Burned
09 – Slowly Sawn
10 – Overtorture
11 – Cerements Of The Flayed

Cannibal Corpse é:
George “Corpsegrinder” Fisher – vocal
Alex Webster – baixo
Paul Mazurkiewicz – bateria
Rob Barrett – guitarra
Erik Rutan – guitarra

Links relacionados:
http://www.cannibalcorpse.net/
https://www.facebook.com/cannibalcorpse
https://twitter.com/corpseofficial
https://www.instagram.com/cannibalcorpseofficial/
https://www.youtube.com/cannibalcorpse

(Visited 91 times, 2 visits today)
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *