Angra – 28-07-2019 – São Paulo (Templo Music)

Texto por Evanil Jr – Fotos por Evanil Jr – Edição por André Luiz

O Templo Music, localizado na Mooca, abriu as portas no domingo, 28, para realizar um show que de tantas maneiras tem uma marca importante nesta longa história do metal nacional. Primeiro por ser o último show da grandiosa tour do álbum ‘OMNI’, lançado em Fevereiro de 2018. A turnê passou pelos 5 continentes, com mais de 100 shows, idiomas, lugares e histórias. Um outro motivo, citado por Rafael durante o show e pelos demais membros nas redes sociais, é que este show marca um fim de um ciclo, iniciado em 2015, na passagem de guitarras do Kiko Loureiro para o Marcelo Barbosa, no show do Rock in Rio – ou seja, ali se iniciava uma nova fase de adaptação, composição, shows, que deram origem ao ‘OMNI’ e rendeu toda esta tour. Não, isto não é uma despedida do Marcelo da banda, e nem de nenhum outro membro, mas sim o fim de um ciclo criativo desta mudança ocasionada pela ida do guitarrista Kiko Loureiro para o Megadeth. E não menos importante, este show era para ter acontecido no dia do falecimento de um dos grandes nomes que marcou época no Angra, o Andre Matos. E com certeza ele foi lembrado ali pela banda e por todos os presentes – afinal, o grande maestro deixou de herança músicas marcantes, as quais tocam o ouvinte em todos os sentidos, desde a letra até a melodia.

A abertura da noite ficou por conta dos curitibanos The Secret Society. A banda é composta por Guto Diaz (baixo, voz), Fabiano Cavassin (guitarra) e Orlando Custódio (bateria), executam um som que que passeia entre o Hard Rock e o soturno Pós Punk, com uma pegada menos dançante, nos arremetendo aos anos 80 e a bandas como The Sisters Of Mercy, Bauhaus, Christian Death, entre outros. Iniciaram a apresentação com a música “Mephistofaustian Transluciferation” e logo em seguida, executaram “Beyond The Gates”, cativando o público mesmo com uma sonoridade completamente diferente do Angra – a galera estava atenta, curtindo e interagindo com a banda, demonstrando que o show agradava e muito a todos. Tocaram outras músicas que veem sendo trabalhadas para o vindouro primeiro álbum, como “Deciduous (Le Feuilles Mortes)” – a qual tem em sua temática a passagem do tempo – e “The Architecture Of Melancholy” – com letras e melodias mais sombrias –, encerrando ao som de “Rubicon”. Com toda certeza, deixaram uma boa impressão no público e despertaram a curiosidade dos presentes por seus passos futuros.

Set List The Secret Society:
Mephistofaustian Transluciferation
Beyond The Gates
Fields Of Glass
Deciduous (Le Feuilles Mortes)
The Final Cut
Rites of Fire
The Architecture Of Melancholy
Rubicon

Logo em seguida, subiram ao palco Fabio Lione (vocal), Rafael Bittencourt (guitarra), Marcelo Barbosa (guitarra), Felipe Andreoli (baixo) e Bruno Valverde (bateria), iniciando o show com a música “Newborn Me”, do CD ‘Secret Garden’, de 2014, música que basicamente trata do auto renascimento em um momento complicado – certamente, com tudo que os fãs e a banda viveram em pouco tempo, faz sentido iniciar a apresentação com ela. Logo em seguida, vindo ao ‘OMNI’, executaram a rápida e graciosamente melódica “Travelers Of Time”, seguida por “Waiting Silence” do ‘Temple Of Shadows’.

O show estava empolgante, porém está bom que não possa melhorar: voltamos para 1996, álbum ‘Holy Land’, com a música “Nothing To Say” – além de ser uma das músicas preferidas deste aqui que escreve, ela trata-se de um marco, pois abre o clássico disco trazendo elementos brasileiros ao metal. E claro, trazendo junto a memória de Andre Matos, que cede a voz ao álbum desta canção. Depois da faixa “Millennium Sun”, cantada por todos praticamente em uma única voz, Bruno Valverde demonstrou por qual motivo é considerado um dos melhores bateristas de metal do mundo, executando um solo matador. Se juntando ao solo, seguiu-se “Black Widow’s Web”, música marcada pela participação da cantora Sandy, demonstrou que o Angra continua surpreendendo os ouvintes em trazer elementos de outros estilos para o metal.

Tivemos um momento mais prog com a música “Upper Levels”. E a cada música que se passava, os músicos mostravam-se entrosados: Lione interagindo junto ao público a todo momento, Rafael e Marcelo com uma sintonia entre as guitarras que pouco se vê, Felipe demonstrando a técnica e habilidade do exímio baixista que o é, e Bruno quebrando tudo na bateria. Uma surpresa boa deste show foi a presença da música “Lisbon”, do albúm ‘Fireworks’, de 1998, uma música forte e marcante deste disco, afinal “skies are failing down” é uma sensação que temos em muitos momentos. E um detalhe: Ela foi cantada por Rafael Bittencourt. Ainda dava para voltar mais no tempo, como executando “Silence And Distance”, faixa esta composta pelo Andre, em mais uma homenagem feita ao grande maestro que nos deixou.

Sabemos que o Angra sempre traz letras em suas músicas que nos levam a pensar, refletir. Cada álbum é cuidadosamente escrito para que passe alguma mensagem, sentimento, como a música de fato deve ser. E Rafael assumiu o microfone durante a música “The Bottom Of My Soul”, a qual como o título diz, nos leva para um passeio ao fundo da nossa alma. O Angra ainda teve tempo para voltar ao período do ‘Angels Cry’ com a música “Time” e, encerrando com chave de ouro a tour, “Rebirth” e um medley composto por “Carry On” e “Nova Era”.

Assistir uma apresentação do Angra enche os olhos: trata-se de um show bem feito, bonito, de sincronia. Uma verdadeira aula. E agora, saudoso, trazendo a lembrança tudo o que Andre Matos deixou. Desta forma, encerrar o show com a fusão de “Carry On” e “Nova Era”, sem dúvidas traduz muito o sentimento dos músicos no momento. Apesar dos pesares, das dificuldades, das tristezas, a banda tem que continuar, pois assim talvez quisesse Andre, assim querem os fãs. Se tudo tem uma razão, este foi o fim de um ciclo, a qual traz uma nova era, com novas composições, ideias, elementos, e o que mais o Angra ainda poderá utilizar para nos surpreender. E pode ter certeza, conseguirão! Agradecimento ao Templo Music, uma casa a qual não conhecia, mas que contou com uma ótima estrutura para receber o Angra, entregando um som limpo e de qualidade, a Dani Oliva Roma, assessora de imprensa, e a Top Link Music por mais esta fantástica produção.

Set List Angra:
Newborn Me
Travelers Of Time
Waiting Silence
Nothing To Say
Insania
Millennium Sun
Black Widow’s Web
Upper Levels
Lisbon
Silence Inside
Silence And Distance
The Bottom Of My Soul
Morning Star
Time
Magic Mirror
Rebirth
Carry On / Nova Era

(Visited 145 times, 3 visits today)