Rotting Christ – 31-05-2019 – São Paulo (The House)

Texto por Evanil Jr – Fotos por Evanil Jr – Edição por André Luiz

Mais uma vez a renomada banda de black metal grega Rotting Christ desembarcou no Brasil, promovendo a tour do seu mais recente álbum, ‘The Heretics’, lançado em fevereiro deste ano. E novamente, o palco do show foi o antigo Hangar 110, agora chamada The House. Para quem já havia visto a banda, podia esperar mais um show grandioso, como sempre se viu: o Rotting Christ é uma banda que ao vivo não decepciona, quem nunca tinha assistido ali estava uma grande oportunidade de ver e se tornar ainda mais fã. Os gregos vieram em sua formação com Sakis Tolis (vocal, guitarra), Themis Tolis (bateria), Van Ace (baixo, backing vocal) e o recém incorporado a banda, Giannis Kalamatas (guitarra), o qual não deixou nada a desejar ao subir no palco da The House.

O show de abertura ficou por conta da Total Death. Banda vinda direto do Equador, com um show voltado mais para um Doom Metal e pitadas de Death, se esforçou para demonstrar ao público brasileiro que aqui próximo pode se encontrar bom som extremo. O grupo também conhecido como Muerte Total, foi formado em 1991, e trouxe em sua line up José Santelices (vocal, guitarra, teclado), Ider Farfán (vocal, guitarra), Carlos Moreno (baixo) e Danny Molina (bateria). Os equatorianos excursionaram na tour de divulgação de seu mais recente disco ‘Sorrowful And Immaculate Heart’ de 2018, porém o foco do repertório do show foi o ‘Inmerso en la Sangre’ de 2015.

Logo em seguida, pontualmente, o Rotting Christ subiu ao palco e abriu o show com a música “Hallowed Be Thy Name”, faixa single do último CD e logo em seguida, “Kata Ton Demona Eautou (???? ??? ??????? ??? ??????)”, com trechos em grego, remetendo ao país de origem da banda – música esta lançada em 2013 – e “Fire, God And Fear”, também do ‘The Heretics’. Percebia-se desde o começo que a banda se sentia totalmente à vontade com o público brasileiro. Sakis fazia questão de falar algumas palavras em português para agradecer aos que ali estavam presentes acompanhando aquele grande som. E o público respondia, cantando junto com eles, mesmo músicas totalmente em grego, como a Apage Satana (????? ??????!), do álbum ‘Rituals’, de 2016.

Os gregos seguiram variando entre momentos mais ritmados e pesados, até que na música “Societas Satanas” – originalmente gravada pela banda Thou Art Lord em 1996, projeto do qual Sakis Tolis faz parte – o público foi convidado a fazer a famosa roda mosh, agitando ainda mais o show. Rotting Christ é uma banda que podemos considerar bastante dinâmica. Suas músicas vão do inglês ao grego e até mesmo em latim, como é o caso “Grandis Spiritus Diavolos”, de 2013. E com todo este dinamismo, o show foi passando de uma forma que ninguém percebia o tempo correndo.

Após uma rápida pausa, a banda retornou ao palco com a música “The Sign Of Evil Existence” e encerrou o show com pouco mais de uma hora de duração, com a faixa bastante pedida “Non Serviam”, do álbum de mesmo nome de 1994. Quem esteve presente, se algum momento duvidou sobre o Rotting Christ ao vivo, pode ter certeza que saiu daquela noite com um sentimento totalmente efusivo: foi mais um daqueles shows que não há do que reclamar. Agradecimentos à TC7 Produções e Lanciare Comunicação.

Set List Rotting Christ:
Hallowed By Thy Name
Kata Ton Demona Eautou (???? ??? ??????? ??? ??????)
Fire, God And Fear
Elthe Kyrie
Apage Satana
Dies Irae
The Forest Of N’Gai
Societas Satanas
King Of A Stellar War
In Yumen-Xibalba
Grandis Spiritus Diavolos
Under The Name Of Legion

The Sign Of Evil Existence
Non Serviam

(Visited 89 times, 3 visits today)