Shaman – 22-09-2018 – São Paulo (Audio)

Texto por Evanil Jr – Fotos por Júlio Szoke – Edição por André Luiz

Você lembra o que fazia há 12 anos atrás? E todas as mudanças que ocorreram deste tempo para cá? E o que me diz de esperar 12 anos para ver novamente uma formação que marcou sua história no Metal Nacional junta novamente. E assim foi, neste final de semana, cheio de emoção e nostalgia a reunião da formação clássica da banda Shaman, algo que há muito era esperado e cogitado pelos fãs. Desde aquele outubro de 2006, quando foi anunciado a mudança da formação, os fãs anseiavam rever André Matos (vocal), Hugo Mariutti (guitarra), Luis Mariutti (baixo) e Ricardo Confessori (bateria) novamente no palco reunidos: a formação inicial marcante do Shaman finalmente estava de volta.

A emoção tomou conta de todos os presentes já antes do show iniciar, com acordes de piano ao fundo, criando uma grande expectativa em todos presentes que basicamente se dividiam em 2 tipos de públicos: àqueles que eram muito novos e cresceram ouvindo falar sobre esta formação ouvindo os cds ‘Ritual’ e ‘Reason’; os demais que acompanharam de perto, assistiram ao vivo e não viam a hora de rever a banda junta. Eu me encaixo neste segundo grupo, e confesso que a expectativa desde o anúncio era gigante.

Logo que as cortinas do palco se abriram, foi exibido um vídeo da banda na época anterior a pausa nas atividades. Imagens raras com bastidores e André na Chapada Diamantina falando sobre o Shaman e o que seria do futuro – no dado momento, executou-se um trecho da música “Innocence”, cantanda em uníssono pelo público, encobrindo o áudio do vídeo. Ao término do vídeo, iniciou-se um show de luzes no palco e os primeiros acordes da música “Turn Away” surgiu ao fundo – havíamos sido avisados que a primeira parte do show seria dedicado ao álbum ‘Reason’, lançado em 2005 – juntamente aos integrantes, levando os presentes ao delírio. O show seguiu na ordem do citado trabalho, com a execução das faixas “Reason” e “More”, versão da banda para a música do The Sisters Of Mercy. André se revezava entre o piano elétrico e o piano de cauda presente no palco, sendo aclamado pelo público. Após o uníssono na intro em vídeo, “Innocence” fora executada ao vivo e por completo, canção esta que além de muito bonita, causou mais um momento de grande emoção, fazendo lágrimas escorrerem dos olhos de alguns dos presentes.

Quem não conhecesse a história da banda, não diria que ficaram 12 anos sem tocarem estas músicas. Havia uma harmonia como se não houvesse este hiato de tempo entre passado e presente. O álbum ‘Reason’ fora apresentado até seu final, encerrando-se com a música “Born To Be”, finalizada com o solo de piano de André Matos. O primeiro intervalo programado veio à tona, e durante este fora apresentado um vídeo Making Off do CD que havia sido apresentado, o ‘Reason’, com todo o processo de produção, gravação instrumento por instrumento e algumas cenas curiosas – como em André tocando bateria e Ricardo Confessori cantando.

Vídeo encerrado, iniciaram os acordes da música “Ancient Winds”, a qual abre o CD ‘Ritual’, lançado em 2002 e responsável por uma longa turnê em CD / DVD ao vivo – o aclamado ‘Ritualive’. A banda retornou ao palco tocando “Here I Am”, fazendo a Audio tremer mais ainda, retornando de vez para um tempo no qual pode ser considerar áureo para o metal melódico. Os riffs da “Distant Thunder” tomaram conta do local, fazendo todos cantarem e pularem, mesmo já se passando mais de 1 hora de show.

Até o dado momento, a única frase dita por Andre Matos – além do título das músicas – havia sido “já, já a gente conversa”. E era chegado o momento dele se dirigir ao público. O vocalista durante discurso mostrou toda a empolgação por estarem de volta, além da felicidade de poder contar com o carinho do público – como o próprio Andre citou, “era planejado um único show de reunião, uma única data, que seria o sábado, 22 de setembro, porém os ingressos acabaram tão rapidamente que uma data se tornaria 2 e se transformariam em uma turnê, com várias outras apresentações já confirmadas”. Claramente, durante o discurso de André, fora deixado em aberto o que viria a ser o futuro da banda, aguçando a imaginação dos fãs. E obviamente, o discurso fora antes da música “For Tomorrow” – uma vez que se falou de futuro, com destaque para André executando ao vivo o trecho na flauta peruana.

Para quem achava que já haviam presenciado sensações o suficiente para uma noite, os primeiros acordes de “Fairy Tale” trouxeram novamente a emoção à tona na Audio. Esta música marcou a época, pois tratou-se de música tema de novela global – Beijo do Vampiro –, sendo executada em rádios de todo Brasil e tornando o Shaman conhecido nacionalmente. Ao final, para encerrar com chave de Ouro, Andre Matos convidou Bruno Sutter (Massacration/Bruno Sutter solo) para cantarem juntos a música “Pride”, originalmente gravada com Tobias Sammet (Edguy/Avantasia).

Foram 2 horas e 20 minutos as quais ninguém viu passar. Afinal, o que eram algumas horas após o longo tempo sem ver aquele quarteto reunido? As próximas datas da turnê estão marcadas, e ao fã resta torcer para que seja só um começo. Por hora, vamos ficar com a frase de André Matos: “O futuro é agora” (agradecimentos à Free Pass Entretenimento e Audio).

Set List Shaman:
Turn Away
Reason
More (The Sisters Of Mercy cover)
Innocence
Scarred Forever
In The Night
Rough Stone
Iron Soul
Trail Of Tears
Born To Be

Ancient Wind
Here I Am
Distant Thunder
For Tomorrow
Time Will Come
Over Your Head
Fairy Tale
Blind Spell
Ritual
Pride (com participação especial de Bruno Sutter)

 

(Visited 84 times, 1 visits today)