Millencolin – 06-10-2017 – São Paulo (Tropical Butantã)

Texto por Álvaro Ramos – Fotos por Felipe Buli – Edição por André Luiz

Após pouco mais de dois anos desde a última apresentação no Brasil, os suecos do Millencolin trouxeram de volta a turnê “True Brew” – a qual promove o álbum de mesmo nome – ao país, devido ao grande sucesso. Dessa vez, a banda passou por Curitiba e Porto Alegre, além de São Paulo. Na capital paulista, o show aconteceu na sexta-feira, 06, no Tropical Butantã.

Por volta de 15 minutos antes do horário marcado para o início, a casa já se encontrava lotada de fãs que aguardavam o show. Tudo estava tranquilo, até que às 22h15m as luzes se apagaram e Nikola Sarcevic, Mathias Färm, Fredric Larzon e Erik Ohlsson entraram no palco já iniciando a noite ao som de “No Cigar”, música mais conhecida da banda. Apesar de normalmente as bandas deixarem o melhor para o final, a ideia de começar o show com a música mais esperada foi extremamente bem sucedida, pois em segundos de show já não era possível ficar no meio do público sem levar chutes e cotoveladas nas rodas que se formavam, tamanha era a empolgação do público.

Logo depois, outra clássica; “Sense & Sensibility” veio sem pausa para que o público não tivesse tempo de respirar. Depois disso, porrada atrás de porrada: “Ray”, “Olympic”, “Penguins And Polarbears”, “Fazil’s Friend”, “Bring Me Home”, “True Brew” e “Autopilot Mode”, até que com “The Ballad”, Nikola deu um descanso aos fãs que acompanharam o momento acústico cantando junto com a banda a bela balada.

Mas, obviamente o descanso não podia ser longo em um show do Millencolin: a banda retornou à formação elétrica para seguir com “Twenty Two”, “Cash Or Clash”, “Lozin’ Must”, “Kemp”, “Pepper”, e por fim  “Mr. Clean”, faixa tradicionalmente usada para encerrar a primeira parte dos shows da banda. Nikola e companhia agradeceram e deixam o palco da Tropical Butantã, dando assim mais uma pausa para os fãs – em grande maioria já não tão adolescentes como eram quando a banda estourou os primeiros sucessos – recuperarem o fôlego e se prepararem para a parte final.

Com “Egocentric Man” se iniciou a sequência de petardos que ainda contou com “Fox”, “Bullion”, “Duckpond”, “Battery Check”, e por último “Black Eye” – cantada por todos os fãs que não paravam de abrir as rodas na pista –, encerrando de fato o show. Como de costume, o Millencolin fez uma noite de puro hardcore, sem grandes pausas para respirar, mas sempre demonstrando carisma e gratidão ao fiel público o qual sempre comparece em peso aos shows da banda no Brasil. Mesmo sendo um show bem parecido com o da última passagem por aqui – o que era mais que esperado pelos fãs, já que o show ainda faz parte da mesma turnê –, os presentes saíram completamente satisfeitos com a performance, e certamente não se importariam em uma terceira ou quarta apresentação idêntica por aqui (agradecimentos à Corsário e The Ultimate Music Press).

Set List Millencolin:
No Cigar
Sense & Sensibility
Ray
Olympic
Penguins & Polarbears
Fazil’s Friend
Bring Me Home
True Brew
Autopilot Mode
The Ballad
Twenty Two
Cash Or Clash
Lozin’ Must
Kemp
Pepper
Mr. Clean

Egocentric Man
Fox
Bullion
Duckpond
Battery Check
Black Eye

(Visited 42 times, 1 visits today)