Amon Amarth e Abbath – 26-05-2017 – Rio de Janeiro (Circo Voador)

Texto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Rodrigo Gonçalves – Edição por André Luiz

O Rio de Janeiro recebeu na noite de sexta-feira uma das turnês mais esperadas do ano, com shows dos noruegueses do Abbath e dos suecos do Amon Amarth. Diante de um Circo Voador completamente lotado, as bandas não apenas dividiram o palco, como a atenção do público e entregaram uma noite inesquecível aos cariocas. Em comum, o senso de urgência de ambas apresentações, com as duas bandas massacrando os tímpanos dos cariocas sem um pingo de dó nem piedade.

O primeiro a entrar em cena foram os noruegueses do Abbath. A banda que leva o nome artístico de Olve Eikemo, o lendário baixista, guitarrista e vocalista do Immortal – ícone do black metal – entrou em cena um minuto antes do combinado, mostrando toda a urgência e caos que marcaria os 60 intensos minutos da apresentação. Disposto a não desperdiçar um segundo sequer do tempo disponível, Abbath fez uma mescla inteligente de temas do álbum de estreia da sua nova banda, com os clássicos do Immortal, que o público ansiava por ouvir ao vivo, o que agradou em cheio.

A banda iniciou a caótica apresentação logo conclamando os presentes para irem à guerra com ele através da excelente “To War”, seguida da primeira do Immortal na noite: a espetacular “Nebular Ravens Winter”. Em seguida veio uma dobradinha com uma faixa cover do supergrupo I e outra do autointitulado álbum de estreia da nova banda do músico, as excelentes “Warriors” e “Ashes Of The Damned” respectivamente. Àquela altura, o público já se matava em desgraçentas rodas no meio da pista do Circo e a banda sob o palco entendeu o momento favorável capitalizando em cima disso, despejando dois clássicos atemporais do Immortal, “In My Kingdom Cold” e “Tyrants” em sequência e fazendo a alegria do povo carioca, que nunca teve a chance de ver o grupo por essas bandas. O massacre sonoro seguiu com as excelentes “Fenrir Hunts” e “Count The Dead”. A parte final do show teve tempo para mais duas do Immortal, “One By One” e “All Shall Fall”, além de “Winter Bane”.

A primeira apresentação do Abbath em terras cariocas – a banda e o artista – teve contornos de histórica. O experiente músico norueguês reuniu uma excelente banda de apoio, que conta até com o baixista King ov Hell (Gorgoroth). O grupo aproveitou-se da excelente atmosfera no Circo Voador e fez uma estreia em grande estilo na Cidade Maravilhosa, deixando todos com gostinho de quero mais.

Set List Abbath:
To War
Nebular Ravens Winter (Immortal cover)
Warriors (I cover)
Ashes Of The Damned
In My Kingdom Cold (Immortal cover)
Tyrants (Immortal cover)
Fenrir Hurts
Count The Dead
One By One (Immortal cover)
Winter Bane
All Shall Fall (Immortal cover)

“Boa noite, Rio de Janeiro. Como vocês estão? Bem-vindos à nossa festa viking”. As palavras proferidas pelo vocalista Johan Hegg – em um português excelente – ao fim de “As Loke Falls” e antes de anunciar “First Kill” dão bem o tom do que foi o show do Amon Amarth no encerramento da noite de rodada dupla no Circo Voador. Se em muitos momentos a apresentação lembrava de fato uma festa viking, com imensa sintonia entre fãs e banda em grandes momentos de cantoria – como “Deceiver Of The Gods”, em que o público cantou até mesmo os riffs de guitarra –, é bom deixar claro que isso não significa que a banda resolveu amolecer. Assim como a banda de abertura, o Amon Amarth entrou em cena disposto a não deixar pedra sobre pedra. Declaração feita logo de cara, quando abriram o show com o clássico “The Pursuit of Vikings”, que contou com o famoso headbanging sincronizado da “linha de frente” da banda. O restante do set list se pautou a partir do álbum ‘Versus The World’, lançado em 2002.

Com uma produção de palco enxuta, sem qualquer tipo de adornamentos, um bom jogo de luz e uma excelente qualidade no som, os suecos tiveram à sua disposição todas as armas para entregar aos cariocas uma excelente apresentação. E assim o fizeram ao massacrar os ouvidos dos presentes com “The Way Of Vikings” e “At Daws First Light”. Em “Deceiver Of The Gods” a empolgação era tão grande, que o público cantou até mesmo as partes de guitarra. O show seguiu em ritmo alucinante, com a banda não dando descanso aos cariocas com temas como “Destroyer Of The Universe”, “Death In Fire”, “Father Of The Wolf”, “Runes To My Memory” e “War Of The Gods”, que encerrou a primeira parte do show. Na volta para o bis, ainda houve tempo para mais três clássicos: “Raise Your Horns”, do último lançamento ‘Jomsviking’ (2016), e a dobradinha “Guardians Of Asgaard” e “Twilight Of The Thunder God”, do álbum homônimo, de 2008, para ecstasy completo dos presentes.

Uma grande noite, na qual os cariocas que foram ao Circo Voador presenciaram duas excelentes bandas – embora em estágios diferentes da carreira – proporcionando um espetáculo de altíssima qualidade para o público que lotou a lendária casa de shows da Lapa, no coração do Rio de Janeiro. Agradecimentos à Liberation, The Ultimate Music e assessoria de imprensa do Circo Voador.

Set List Amon Amarth:
The Pursuit Of Vikings
As Loke Falls
First Kill
The Way Of Vikings
At Dawn’s First Light
Cry of the Black Birds
Deceiver Of The Gods
Tattered Banners And Bloody Flags
Destroyer Of The Universe
Death In Fire
Father Of The Wolf
Runes To My Memory
War Of The Gods

Raise Your Horns
Guardians Of Asgaard
Twilight Of The Thunder God

(Visited 60 times, 1 visits today)