Rhapsody – 07-05-2017 – São Paulo (Tom Brasil)

Texto por Clayton Franco – Fotos por Rodrigo Monteiro – Edição por André Luiz

Vinte anos se passaram desde o lançamento do disco ‘Legendary Tales’ e o mundo foi apresentado ao grupo Rhapsody. Com o segundo trabalho de estúdio – ‘Symphony of Enchanted Lands’ – o grupo de power metal predominantemente italiano alcançou o sucesso mundial. Com influência da música erudita, até então nunca vista com esse nível de grandiosidade e mistura em uma banda de Metal, a banda destacava-se com canções épicas com fundo de orquestras e coros criando uma nova vertente do power metal que por muitos foi chamada de ‘metal sinfônico’. Vinte anos se passaram como eu disse… E ao longo de duas décadas o grupo mudou de nome (para Rhapsody of Fire), teve várias formações diferentes, dividiu-se em dois grupos distintos (Rhapsody of Fire’ e Luca Turilli’s Rhapsody), tendo altos e baixos em sua carreira. Agora, para comemorar as duas décadas dos seus grandes trabalhos e finalizarem a banda em um grande momento (visto que seus integrantes possuem outras bandas e projetos paralelos), as mentes responsáveis por transformar o grupo na potência musical que ele tornou se reuniram para uma turnê comemorativa. Fabio Lione nos vocais e Luca Turilli nas guitarras (com exceção do tecladista Alex Staropoli que não quis participar desta festa) se juntaram com Dominique Leurquin (guitarra), Patrice Guers (baixo) e Alex Holzwarth (bateria) para um giro mundial. Em uma extensa turnê latino-americana que inclui diversas datas no Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba e Belo Horizonte), tivemos a oportunidade de conferir a apresentação realizada no dia 07 em São Paulo. E meus amigos… que show!!!

A noite começou um pouco antes das 19h com o grupo Armored Dawn que foi muito bem recebido pelos presentes. Formada em 2011 e com o petardo ‘Power of Warrior’ lançado em 2016, o grupo criado por Eduardo Parras (vocal) trouxe seu heavy metal calcado em canções apuradas sobre batalhas e guerreiros como “William Fly” e “Viking Soul” conclamando todos no Tom Brasil a agitarem junto ao grupo. Com momentos épicos para os guitarristas Timo Kaarkoski e Tiago Moura brilharem, o grupo intercalou solos do tecladista Rafael Agostino com canções como “King” que sucederam aos solos de Fernando Giovannetti no baixo e Rodrigo Oliveira na bateria. Ainda houve a execução de “Rose Tattoo” e fechando sua curta apresentação tivemos “Beware of The Dragon” muito bem recepcionada pelo público.  Em conversa após o fim da apresentação com o tecladista Rafael, o mesmo nos contou que o grupo já tem seu próximo trabalho de estúdio no forno para ser lançado em breve. Aguardamos um ótimo trabalho da banda, em face da grande apresentação da noite.

Set List Armored Dawn:
Intro
William Fly
Bloodstone
Eyes Behind The Crow
Prison
Viking Soul
Guitar Solo
Keyboard Solo
King
Bass Solo
Drum Solo
Rose Tattoo
Beware of The Dragon

Em torno das 20h temos início ao prato principal da noite. Com gritos efusivos vindo do público e ao som da introdução “Epicus Furor”, Alex, Patrice e Dominique tomaram suas posições no palco para a magistral entrada de Luca e Fabio com a épica “Emerald Sword” seguida por “Wisdom of the Kings”. Esse início de show com os petardos que iniciavam o disco ‘Symphony of Enchanted Lands’ pautaram o que seria a noite: Este clássico de 20 anos seria tocado na integra!!! “Eternal Glory” agitou todos os presentes com seu refrão magistral e preparou o caminho para a primeira grande surpresa da noite. Fábio Lione se dirige ao público e nos contou que esta seria a primeira vez que “Beyond the Gates of Infinity” seria tocado ao vivo. A emoção do público ao saber deste fato aumento com todos acompanhando a letra da canção.

“Knightrider of Doom” foi outra das antigas muito bem recebida e seguida por “Wings of Destiny” e “The Dark Tower of Abyss” que foram ótimas belas surpresas, sendo que também é a primeira vez que elas são executadas ao vivo. “Riding the Winds of Eternity” e “Symphony of Enchanted Lands” continuaram com o espetáculo musical e tivemos o primeiro momento solo da noite. Alex Holzwarth nos mostra o porquê é considerado um dos grandes bateristas do Metal socando pratos e caixas sob o fundo musical de “Dies Irae” composta por ‘Giuseppe Verdi’.

“Land of Immortals” trouxe todo o grupo de volta ao palco e “The Wizard’s Last Rhymes” deu continuidade ao espetáculo musical da noite. Em mais um momento solo, Patrice Guers nos brinda com suas notas de baixo tendo ao fundo a canção “Queen Of The Dark Horizons” do próprio grupo. Este solo com música de fundo me trouxe a mente uma preocupação que eu tinha antes mesmo do show começar, mas que foi completamente dissipado na primeira canção da noite. O som do grupo sempre foi calcado na música clássica e com tantos instrumentos eruditos e coros orquestrados cheios de efeitos sonoros em seus trabalhos de estúdio, como isso iria soar em um show ao vivo? Mesmo estas partes sendo reproduzidas com play back pré-gravado, em nada abonou o espetáculo da noite. Os músicos estavam todos afinados e em uma vibe única no palco não deixando a qualidade musical cair. Sem contar que seria impossível excursionarem com uma orquestra e coral ao vivo. Dentro das limitações técnicas que isto impõe posso dizer claramente que isso não afetou de forma nenhuma o espetáculo.

E falando em espetáculo, este já chegava ao fim e o grupo sacou um grande Ás da manga para o encerramento com um dos seus maiores petardos. Estou falando de “Dawn of Victory”, que foi acompanhada em uníssono por todos os presentes. E tal emoção e euforia vinda da plateia nesta canção não se deve apenas ao grande clássico que ela é em si; mas também ao fato que Lione nos avisou que ela seria gravada ao vivo para um futuro vídeo clipe. Uma grande honra e presente para o público paulistano ao saber que foi a nossa cidade entre tantas outras que o Rhapsody escolheu para esta gravação!!!

Mas enganasse quem acha que o show acabou. O público não arredou o pé da casa fazendo um grande coro continuando o refrão de “Dawn of Victory” mesmo após o Rhapsody deixar o palco. E sobre gritos chamando por ‘Fabio’ e “Turilli’ o grupo retornou ao palco com “Rain of a Thousand Flames”. Após “Lamento Eroico”, Fabio Lione nos brinda com algumas estrofes de uma ópera italiana em um dos momentos mais emocionantes da noite que arrancou lágrimas de alguns presentes devido ao tamanho carisma e coração que Lione impôs nesta interpretação. “Holy Thunderforce” retorna a parte final do show que se encerrou de forma magistral com “In Tenebris”. Cobertos de aplausos e ovacionados aos gritos pelo seu fiel público, o Rhapsody deixa o palco sob o fundo musical de “Gargoyles, Angels of Darkness”.

Não tenho palavras que possa descrever a emoção deste show. Rhapsody foi um dos grupos que abriu minha mente para a mistura de heavy metal e música erudita. Se hoje dentro de meu repertório musical eu incluo Vivaldi, Bach e Paganini, devo muito desse conhecimento ao Rhapsody que me apresentaram estas influências. Um dos melhores shows que pude presenciar e que me deixa triste em saber que esta turnê espetacular é apenas uma forma carinhosa que o grupo tem de presentear seus fãs com uma bela despedida. Em um momento tão alto da carreira e com os músicos entrosados e felizes sobre o palco, confesso que gostaria muito que eles continuassem e lançassem novos discos com a atual (e clássica) formação. Deixo aqui meus agradecimentos finais aos nossos leitores que me acompanharam em mais uma resenha, a Top Link por viabilizar esta turnê em terras tupiniquins e as assessorias de Damaris Hoffman (Top Link) e Mirian Martinez (Tom Brasil) pelo credenciamento do nosso veículo de imprensa.

Set List Rhapsody:
Intro (Epicus Furor)
Emerald Sword
Wisdom Of The Kings
Eternal Glory
Beyond The Gates Of Infinity
Knightrider Of Doom
Wings Of Destiny
The Dark Tower Of Abyss
Riding The Winds Of Eternity
Symphony Of Enchanted Lands
Drum Solo
Land Of Immortals
The Wizard’s Last Rhymes
Bass Solo
Dawn Of Victory

Rain Of A Thousand Flames
Lamento Eroico
Holy Thunderforce
In Tenebris

(Visited 130 times, 4 visits today)