The Pretty Reckless – 09-03-2017 – Rio de Janeiro (Vivo Rio)

Texto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Arony Martins – Edição por André Luiz

A banda americana The Pretty Reckless retornou ao Rio de Janeiro, local por onde se apresentou pela segunda vez, para uma plateia que se não era numerosa, pelo menos era bastante barulhenta e participou do show como se fosse uma torcida de futebol.  Capitaneada pela cantora e atriz Taylor Momsen, o grupo retornou ao país para uma série de apresentações divulgando o mais novo álbum de estúdio, ‘Who You Selling For’, lançado em outubro de 2016.

Antes da turnê brasileira começar, a cantora contraiu um forte resfriado, o que levou o grupo a adiar a apresentação em Curitiba para o domingo (12). O restante dos shows tiveram suas datas originais mantidas, o que causou uma certa curiosidade e preocupação nos fãs sobre se Momsen conseguiria se apresentar. Preocupação essa que foi por água abaixo, tão logo o som dos sinos do clássico “Hells Bells” do AC/DC se extinguiram dos PA’s do Vivo Rio e a banda iniciou o show. Iniciando o show com as músicas “Follow Me Down” e “Since You’re Gone”, Momsen logo demonstrou estar com o gogó em dia, principalmente após as duas primeiras músicas, quando os fotógrafos já haviam deixado a barricada. A partir dali, Taylor e banda se soltaram de vez, algo que não haviam feito nas duas primeiras músicas, e deixou alguns dos fotógrafos bastante “contentes”.

Após “Oh My God”, em que Taylor solta o vozeirão rasgado em diversos momentos – provando estar recuperada do resfriado –, a vocalista se dirigiu ao público pela primeira vez, falando que estava contente em voltar ao Rio de Janeiro e anunciou que tocariam material novo, no caso “Hangman” – com uma introdução que lembrava muito “That Woman From Tokyo” do Deep Purple – e “Make Me Wanna Die” – durante a qual uma fã mais empolgada chegou a tirar a camisa.

A banda continuou empolgando com temas como “My Medicine”, em que Taylor tocou guitarra pela primeira vez e “Prisoner”, que fez o público cantar. Em “Sweet Things”, duas coisas chamaram atenção: o guitarrista Ben Philips solando com autoridade e Momsen mais uma vez soltando a voz, mostrando estar totalmente recuperada.

Na segunda parte da apresentação tivemos temas como “Light Me Up”, faixa título do primeiro álbum da banda, lançado em 2010, além de “Who You Selling For”, que empresta o nome ao novo álbum e contou com a participação do público, que ligou os telefones celulares, o que ajudou a criar um clima especial. A parte final do show foi dedicada aos sucessos do grupo, como “Zombie”, atendendo a pedidos do público presente, além de “Heaven Knows” – uma das músicas mais conhecidas da banda – e também “Going To Hell”.

Em “Take Me Down”, é impossível não notar a semelhança com o clássico do Rolling Stones “Sympathy For The Devil”. A menção a grandes bandas do passado e influências pessoais por partes dos músicos parece ser praxe no repertório do grupo – mas neste caso específico, sendo feita de forma mais exacerbada do que o normal. Fecharam o show com “Goin’ Down” e saíram de cena com o público pedindo por mais.

No geral, foi uma apresentação acima da média. A banda demonstra ter recursos, bebe na fonte de bandas clássicas do rock e seu som tem uma veia mais clássica, o que é ótimo e serve para apresentar ao público bastante jovem – muitos provavelmente em seu primeiro show – um tipo de som que talvez demorassem anos para descobrirem por conta própria. Apesar do susto com a saúde no começo da semana, Taylor e companhia demonstraram estar vivendo um bom momento na carreira, justamente naquela fase importante de amadurecimento do som da banda. Agradecimentos à Move Concerts e Midiorama pela produção do evento e credenciamento de nossa equipe.

Set List The Pretty Reckless:
Follow Me Down
Since You’re Gone
Oh My God
Hangman
Make Me Wanna Die
My Medicine
Prisoner
Sweet Things
Light Me Up
Who You Selling For
Just Tonight
Zombie
Heaven Knows
Going To Hell
Take Me Down

Goin’ Down

(Visited 232 times, 5 visits today)