Scorpions – 10-09-2016 – Rio de Janeiro (Metropolitan)

scorpions-riodejaneiro-aronymartins-2016-20-of-26 Texto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Arony Martins – Edição por André Luiz

Foram oito longos anos sem que os fãs pudessem ver uma das maiores bandas de hard rock da história nos palcos do Rio de Janeiro, mas a longa espera foi recompensada com um show espetacular na fria noite de sábado, 10. Os alemães retornaram à cidade por onde começaram, há muitos anos, sua longa e intensa relação com o público brasileiro, e fizeram um dos melhores shows do ano.

O Scorpions retornou ao país em 2016 com a turnê de divulgação do álbum ‘Return To Forever’, lançado no ano passado e que entrou em várias listas de melhores do ano. Além disso, a banda escolheu bem o setlist, o qual contava com uma mistura interessante de clássicos, com temas mais novos e dois medleys no meio do show que abordavam diferentes períodos da longeva carreira do grupo. Mas talvez o fator que tornou a apresentação ainda mais atrativa ao público foi a presença do espetacular baterista Mikkey Dee, que após o fim do Motörhead por conta da morte de Lemmy Kilmster, se juntou ao Scorpions para substituir James Kottak, enquanto este lida com as decorrências de problemas de saúde.

scorpions-riodejaneiro-aronymartins-2016-4-of-26

E foi justamente o novo baterista que roubou a cena no show. Do começo espetacular com “Going Out With A Bang”, com direito a Klaus Meine fazendo bom uso da passarela a qual se estendia até o meio do público, passando pela excelente “Make It Real”, e a jam no meio de “The Zoo”, em que os guitarristas Matthias Jabs e Rudolf Schenker engajaram-se em riffs e solos durante a música, o baterista parecia fazer parte da banda há anos, largando o braço sem dó nem piedade e levando o som do quinteto alemão a um outro patamar.

Logo em seguida, o grupo lançou mão de dois medleys. O primeiro, com músicas dos anos 70 como “Top Of The Bill” e “Steamrock Fever”, o segundo com baladas como “You and I” e “Send Me An Angel” as quais provocaram uma grande cantoria por parte do público. Entre os medleys, ainda teve tempo para a excelente “Coast To Coast”. Vale ressaltar que o artifício dos medleys se mostrou uma opção interessantíssima, pois permitiu que a banda executasse material mais antigo, fazendo a alegria dos fãs de longa data sem alienar os fãs mais novos, que conhecem os grandes sucessos.

scorpions-riodejaneiro-aronymartins-2016-16-of-26

Após o medley acústico, foi a vez de mais uma balada. Na verdade, A balada. Quando os primeiros acordes de “Wind Of Change” soaram, imediatamente o que se viu foi um mar de telefones celulares “filmando” a performance da música.

O show seguiu com “Rock ‘n’ Roll Band” e “Dynamite” antes de um dos momentos mais esperados da noite. Klaus se dirigiu ao público, falou da entrada do baterista Mikkey Dee e disse que o sueco conversou com a banda antes da turnê sul-americana e disse que o Motörhead tinha bastante fãs por aqui e por isso seria legal fazer uma homenagem à Lemmy: a banda executou uma versão matadora do clássico “Overkill” enquanto imagens do lendário baixista/vocalista eram exibidas no telão.

scorpions-riodejaneiro-aronymartins-2016-22-of-26

Após um solo de bateria cujo o ponto alto foi o surgimento no telão das capas dos álbuns da banda a cada batida de Mikkey Dee no bumbo, o quinteto retornou ao palco e a partir dali foi só alegria. A trinca “Blackout”, “No One Like You” e “Big City Nights” fez a alegria dos fãs e mostrou porque o Scorpions é um dos maiores nomes do rock em todos em tempos.

Na volta para o bis, ainda houve tempo para a inevitável “Still Loving You” (novamente com os fotógrafos e cinegrafistas enchendo a paciência e atrapalhando a diversão de milhares de pessoas), antes de fechar com “Rock You Like A Hurricane”, talvez um de seus maiores sucessos.

scorpions-riodejaneiro-aronymartins-2016-25-of-26

O fim perfeito para um show espetacular. Fazia tempo que o Rio de Janeiro não recebia um show de rock clássico tão bom. Tudo foi excelente, desde a escolha do set list, passando pelos telões e painéis de LED que foram um show à parte dentro da própria apresentação, à qualidade estupenda de som e a performance espetacular dos músicos. Klaus Meine e companhia realizaram em pouco mais de 90 minutos uma performance inesquecível. Falando no vocalista, ele e Mikkey Dee foram os destaques do show. Klaus, beirando os 70 anos, pode se mover com dificuldade em alguns momentos, mas sua voz continua em plena forma e ele mostrou que carisma e saber comandar uma plateia são qualidades fundamentais para um frontman. Agradecimentos à T4F pela produção do evento e credenciamento de nossa equipe.

Set List Scorpions:
Going Out With A Bang
Make It Real
The Zoo
Coast To Coast
Top Of The Bill / Steamrock Fever / Speedy’s Coming / Catch Your Train
We Built This House
Delicate Dance
You And I (a cappella, chorus only) / Always Somewhere / Eye Of The Storm / Send Me An Angel (Acoustic Set)
Wind of Change
Rock ‘n’ Roll Band
Dynamite
Overkill
Drum Solo
Blackout
No One Like You
Big City Nights

Still Loving You
Rock You Like A Hurricane

 

(Visited 40 times, 1 visits today)