Richie Ramone – 28-08-2016 – São Paulo (Clash Club)

Richie Ramone - Clash Club - 15Texto por Álvaro Ramos – Fotos por Álvaro Ramos – Edição por André Luiz

Quase 4 anos após sua última passagem pelo Brasil, o lendário Richie Ramone voltou ao nosso país para promover seu mais recente álbum solo, ‘Cellophane’. Depois de uma extensa turnê que já passou por alguns países da América do Sul e cidades do Brasil, o baterista se apresentou em São Paulo no domingo, 28, agraciando os presentes com material de sua passagem por 4 anos pelos Ramones – tempo que rendeu 3 álbuns e mais de 500 shows com a banda.

Após os shows das bandas Subviventes, Corazones Muertos, Madrenegra e Dillinger, responsáveis pela abertura da noite, as luzes se apagaram e no telão foi reproduzido o clipe de “I Fix This”, single de seu novo álbum. Momentos depois, Richie Ramone e sua banda entraram no palco da Clash Club para iniciar o show com “Durango 95”, faixa utilizada para abrir muitos de seus shows com os Ramones.

Richie Ramone - Clash Club - 11

Sem pausa para respirar e com a famosa contagem “1, 2, 3, 4”, marca registrada dos Ramones, “I don’t want to go down to the basement” foi tocada em seguida, para depois o primeiro grande momento da noite, e um dos principais: a clássica “Somebody put something in my drink”, faixa composta por Richie e que mais marcou sua fase com a maior banda punk da história. O show teve continuidade com uma mistura de clássicos do Ramones (de sua passagem e de outras fases da banda também) com seus trabalhos solo, mantendo sempre o público empolgado e não deixando o clima do show “esfriar”.

Uma característica interessante nos trabalhos solos de Richie, é que ele sempre procurou fazer músicas com sua própria marca, sem tentar soar como uma cópia de Ramones. Durante a execução de músicas de seus trabalhos solos como “I fix this”, “Entitled” e “Pretty poison”, ficou ainda mais evidente a marca de seu vocal rasgado e completamente oposto ao som dos Ramones.

Richie Ramone - Clash Club - 6

Com mais alguns clássicos de sua carreira, Richie fechou a primeira parte do show, e retornou ao palco perguntando se o público queria mais. A resposta obviamente foi positiva, e então foi executada “Elevator operator”, um dos b-sides mais legais dos Ramones e que foi uma ótima surpresa. Para fechar com chave de ouro, “Havanna affair”, também de sua ex-banda.

Para a tristeza do público, o show chegou ao fim após aproximadamente 1h10m de rock and roll ininterrupto. Mas como Richie sempre mantém uma relação extremamente próxima de seus fãs, alguns minutos depois, desceu do palco e atendeu a todos que quiseram pegar um autógrafo e tirar uma foto com o ídolo. Tanto durante o show quanto depois, Richie manteve uma relação extremamente próxima do público, e esbanjou simpatia como de costume. Analisando o histórico de shows de ex-membros do Ramones no Brasil, a perspectiva é de que Richie não demore para voltar e nos brindar com seus shows que não decepcionam – que assim seja! Agradecimentos à Costábile Jr. pelo credenciamento de nossa equipe no evento.

(Visited 51 times, 1 visits today)