Matanza Fest – 16-07-2016 – São Paulo (Tropical Butantã)

Compartilhe:

matanza_matanzafest_tropicalbutanta_metalrevolution_felipebulifotografia-16

Texto por Felipe Buli – Fotos por Felipe Buli – Edição por André Luiz

Noite fria e chuvosa, boa pra ficar em casa de baixo das cobertas? Errado. Noite de Matanza Fest na Tropical Butantã, juntar tribos que curtem um bom celtic punk, horror punk se pode dizer assim, um punk rock tradicional praticamente 77 oitentista e por fim, um hardcore country pesado, isso era o que esperavam todos os que foram ao Matanza Fest, com as bandas Rats, Zumbis do Espaço, Cólera e Matanza.

Os cariocas do Rats com seu celtic punk agitou a galera e fez todos que não conheciam o seu som dançar e curtir, unindo a sonoridade da sanfona, banjo e flauta ao bom punk rock, um dos pontos altos da noite, conquistando os presentes. Mandando um cover forte e inusitado de “Transylvania” do Iron Maiden em versão celtic punk e o carro chefe “Somos Nós”, podemos dizer que colocaram a galera no bolso e conquistaram muitos novos fãs – que  venham novamente pra pauliceia pois serão bem vindos.

Segunda banda da noite, uma das pioneiras no gênero horror punk hardcore no Brasil, Zumbis do Espaço literalmente mataram a pau com seu novo disco ‘Em uma missão de Satanás’, comemorando 20 anos de carreira. Esbanjando simpatia desde o início, a banda agitou com novos e antigos sons, porém quando tocaram “Mato por Prazer” e finalizaram com “Nos braços da Vampira” a galera literalmente delirou. Jogo ganho para o Zumbis, e ainda chegávamos à metade da noite.

A noite se estendia com o Cólera, de forma festiva e de homenagens, lembrado pelo vocalista Wendel que assumiu os vocais, após o falecimento de Redson em 2011. Passando por hinos e mais hinos de toda a estória da banda como “São Paulo”, “Medo”, “Dia e Noite” e “Pela Paz”, os músicos levaram o público ao delírio, empolgados com o que viria pra encerrar a noite.

Era chegado o momento dos donos da festa, Matanza, chegando forte com o som alto ao extremo, emendando som atrás de som, tanto que quem estava na grade não entendia se a explosão sonora tratava-se dos amplificadores ou do público cantando a estourar pulmões. O repertório passou por todos os álbuns da carreira da banda, com destaque para “Clube dos canalhas”, “Santanico”, “Ressaca sem fim” e um covers de Motorhead e Johnny Cash.

matanza_matanzafest_tropicalbutanta_metalrevolution_felipebulifotografia-18

Cabeludos, barbudos, carecas, cabeleiras avermelhadas das meninas, todos banguearam ao som do Matanza que fecharam a noite em ótimo estilo, prometendo um show mega especial em outubro – aguardemos. Agradecimentos ao Costabile Jr. pelo credenciamento de nossa equipe e a equipe do Matanza pela produção do evento.

 

(Visited 126 times, 1 visits today)
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *