Hardcuore Fest – 05-05-2016 – Rio de Janeiro (Circo Voador)

Planet Hemp - CircoVoador- AronyMartins -2016 (6 of 13)Texto por Arony Martins – Fotos por Arony Martins – Edição André Luiz

Uma noite de muito rock n roll, bom público e uma causa pra lá de nobre. Assim foi o Hardcuore Fest que agitou a fria noite de quinta-feira, 5 de maio, no Circo Voador. Idealizado por Bernardo dos Santos, o Bnegão do Planet Hemp, o festival trouxe ao palco do Circo três importantes nomes da cena rocker carioca dos anos 1990: MC´s HC, Autoramas e o próprio Planet Hemp. A intenção era arrecadar fundos para custear o tratamento de Layana Thomaz, irmã de Gabriel Thomaz, líder do Autoramas. Layana nasceu com uma má formação no coração e já passou por 3 caríssimas cirurgias. Se a intenção era das mais legítimas, o público carioca pareceu ter entendido e invadiu em excelente número a tradicional casa de shows da Lapa, permitindo assim que um dos objetivos dessa árdua e longa luta pudesse ser alcançado.

Com a presença da banda vinda do famoso bairro de Irajá, os MC´s HC abriram a noite com um som que eu poderia tranquilamente classificar como uma “Blitz turbinada”. Sem Evandro Mesquita e Fernanda Abreu, mas com Babous e Smile, seus mestres de cerimônia que acompanhados de Vel e Elisa (backing vocals) TW Jack (guitarra),  El Cubano (trompete, sax) Max (baixo) e JR (bateria, programações), após dois anos parados retornaram à ativa a convite do idealizador do evento, Bnegão, um entusiasta e incentivador do trabalho do grupo. O repertório apresentado pela banda misturou Funk, Hardcore, Metais e sonoridades eletrônicas e quem esteve presente pôde conferir músicas como “Pancadão”, “Tá sozinho”, “Mr. Dj” dentre outras. Um bom aquecimento para o que estava por vir.

Autoramas - CircoVoador- AronyMartins -2016 (1 of 12)

E após uma rápida apresentação do DJ Marcelinho da Lua, um dos precursores do drum’n’bass no RJ, era hora de um dos protagonistas do festival. A nova formação do Autoramas já havia se apresentado na cidade, por outras vezes. Para quem não sabe, a banda sofreu uma transformação profunda em seu line-up no ano passado. Saíram Bacalhau e Flávia Couri. Entraram Fred (ex-Raimundos), Melvin (ex-Carbona) e Erika Martins (ex-Penélope). Modificações na banda, modificações na sonoridade. A mistura de rock alternativo, rockabilly com a música psicodélica sessentista animou os presentes. O grupo trouxe ao palco do Circo músicas como “Abstrai”, “Você Sabe”, “Mundo Moderno” e “1,2,3,4” (que contou com a participação de Bnegão). A força do som e a grande competência da banda contrasta um pouco com letras mais superficiais, mas que tornam o trabalho do grupo de fácil ‘digestão’. Outro ponto a se considerar é que a entrada de Erika deu um ‘up’ ao trabalho do Autoramas. Com estrada, a ex-Penélope, ao vivo, é muito mais cantora que a antiga integrante, além de ser multi-instrumentista. Um show conciso e que mostrou ao que veio.

E por fim, talvez a banda mais esperada da noite. Advinha doutor quem tá de volta na praça! E o Planet Hemp voltou à cena carioca desfilando clássicos que fizeram de Marcelo D2, Bnegão, Formigão e cia uma banda tão famosa pelo trabalho musical que desenvolveram quanto pelo ativismo característico de suas letras, e que não se engajam somente em relação à legalização da maconha, mas também no que diz respeito à questões de violência urbana e desigualdade social. Já de cara “Legalize Já” deu as honras de uma noite repleta clássicos como “Dig Dig Dig (Hempa)”, “Ex-Quadrilha da Fumaça”, “Fazendo a sua Cabeça”, “Mantenha o Respeito” e “Zerovinteum”. Inclusive nessa última a parte final foi levemente modificada com D2 fazendo referência aos cinco jovens que foram assassinados por policiais com 120 tiros em uma favela carioca no final do ano passado.

Planet Hemp - CircoVoador- AronyMartins -2016 (7 of 13)

Em um outro momento, Bnegão dedicou a música “Porcos Fardados” à controversa figura pública Jair Bolsonaro, questionando inclusive como diante de tanta violência ainda existem pessoas que conseguem defender a volta de um regime ditatorial. De fato, um momento de reflexão crítica que arrancou aplausos dos fãs presentes.

Se a ideia era ter a possibilidade de arrecadar um pouco mais de recursos para custear o tratamento de uma pessoa muito querida para todos os envolvidos no evento, o agradecimento por ter o convite atendido se deu de forma bastante grandiosa. Três shows que com toda a certeza, para os fãs das bandas, valeu por cada centavo investido. E que Layana possa se recuperar o mais breve, é o que desejo em nome de toda a equipe do Portal Metal Revolution. Agradecimentos à Rê Reis da assessoria de imprensa do Circo Voador.

(Visited 29 times, 1 visits today)