Accept – 09-04-2016 – Rio de Janeiro (Imperator)

MR-Accept-Imperator-AronyMartins-7Texto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Arony Martins – Edição André Luiz

Pode parecer incrível, mas mesmo com quase quatro décadas de carreira, o Accept só foi fazer a sua estreia em palcos cariocas no ano passado, quando serviu como banda de abertura no show do Judas Priest no Vivo Rio. À época, ambas as bandas faziam parte do festival Monsters Of Rock, realizado em São Paulo. Desde então os fãs cariocas ansiavam por um retorno para que o grupo alemão pudesse enfim fazer uma apresentação completa, com todos os seus sucessos. E foi o que aconteceu na noite do último sábado (09). Sem banda de abertura, o Accept pôde fazer o seu show completo e deu aos fãs quase duas horas do mais puro heavy metal.

MR-Accept-Imperator-AronyMartins-21

Do momento em que a banda entrou no palco, algo ficou abundantemente claro: o foco do grupo alemão é a música. Em tempos de bandas apostando cada vez mais em palcos mirabolantes, efeitos para mascarar a falta de talento ou músicas ruins, é revigorante ver uma banda que não pensa em nada além de subir no palco e tocar o mais rápido e alto que conseguir, fato evidenciado pelo palco sem qualquer tipo de ornamentação – eles não utilizam nem mesmo telões – e as poucas palavras trocadas pelo vocalista Mark Tornillo com o público. Não me levem a mal, isso não é um comentário pejorativo sobre a postura dos alemães em cima do palco.

Os músicos falaram pouco mas interagiram o tempo inteiro com os fãs e até mesmo com os fotógrafos, posicionados na frente do palco para registrar o começo fulminante do show com “Stampede”, “Stalingrad” e “Hellfire”. A pancadaria seguiu com “Living For Tonite” e os clássicos “Restless And Wild” e “Midnight Mover”, que levantaram o público e fizeram os cariocas cantarem tão alto a ponto de abafar as caixas de som. Antes de “Dying Breed”, Mark se dirigiu ao público pela primeira – de duas vezes na noite – e disse que a música foi escrita em homenagem aos heróis deles, dedicando-a à Lemmy Killmster, que faleceu no fim do ano passado.

MR-Accept-Imperator-AronyMartins-17

A noite prosseguiu com uma mistura interessante de temas mais novos como “Final Journey”, “Shadow Soldiers” e “Pandemic” com favoritas do público, caiu um pouco de empolgação em “Starlight” e “Bullet Proof”, mas o público logo voltou a participar antes da banda se despedir pela primeira vez quando os alemães mandaram clássicos como “Princes Of The Dawn” e “Fast As A Shark”, que deixaram o público tão ensandecido que os cariocas não hesitaram nem em cantar as partes instrumentais.

A volta ao palco guardava alguns dos momentos mais esperados da noite, como as clássicas “Metal Heart” e “Teutonic Terror” e a divertida “Son Of A Bitch”, a qual serviu para amenizar um pouco o clima antes de a banda executar aquele que é o seu maior clássico, “Balls To The Wall” – que conta com as coreografias de “guitarras e cabeças” semelhantes ao icônico videoclipe gravado para a faixa lá nos anos 80 –, trazendo o inferno para a terra no Imperator.

MR-Accept-Imperator-AronyMartins-19

Um fim excelente para mais uma grande noite em um dos palcos tradicionais para o rock no Rio de Janeiro e que passou bastante tempo fechado. O Imperator se mostrou mais uma vez como ótima alternativa para shows na Cidade Maravilhosa. É fácil de chegar e sair, os preços são justos e a qualidade do som é impecável. Todos esses fatores contribuíram para que a “estreia” do Accept em ato solo no Rio de Janeiro fosse inesquecível, tanto para o público quanto para a banda. Agradecimentos à Free Pass e à equipe do Imperator pela produção do evento e tratamento cordial com os profissionais do Portal Metal Revolution.

Set List Accept:
Stampede
Stalingrad
Hellfire
London Leatherboys
Living For Tonite
Restless And Wild
Midnight Mover
Dying Breed
Final Journey
Shadow Soldiers
Starlight
Bulletproof
No Shelter
Princess Of The Dawn
Dark Side Of My Heart
Pandemic
Fast As A Shark
Metal Heart
Teutonic Terror
Son Of A Bitch
Balls To The Wall

(Visited 24 times, 1 visits today)