Iron Maiden – 26-03-2016 – São Paulo (Allianz Parque)

Iron Maiden - SP - mar-2016 - por BudweiserTexto por André Luiz – Fotos por Budweiser, Midiorama e Iron Maiden – Edição por André Luiz

Épico. Desta forma resume-se a noite que marcou a despedida do Iron Maiden de terras latinas pela “The Book Of Souls World Tour”, ocorrida no Allianz Parque em São Paulo para um público que lotou as dependências do estádio palmeirense. Divulgando o álbum ‘The Book Of Souls’, lançado em setembro de 2015, a tour tem como destino a passagem por 35 países de cinco continentes, com tripulação e equipamento (cerca de 12 toneladas) sendo transportado em um Boeing 747-400 próprio, o “Ed Force One”, pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson. No Brasil foram cinco shows, sendo que além da presença do The Raven Age (ao lado do Iron Maiden desde a primeira apresentação da tour), a perna brasileira contou com os norte-americanos do Anthrax como convidados especiais.

O primeiro ponto a ser observado neste evento foi a escolha do local. O Allianz Parque, inaugurado há menos de dois anos, possui localização privilegiada, estacionamento próprio, fácil acesso ao transporte público, e dentro do estádio uma visibilidade tranquila de todos os pontos disponibilizados ao público. Restrições futebolísticas a parte, o local tende a manter-se como principal referência em termos de grandes eventos nos próximos anos em São Paulo.

The Raven Age - SP - mar-2016 - por Midiorama

Com início programado para às 18h40m, The Raven Age subiu ao palco do Allianz Parque, contando com grande presença de público dento do estádio e um expectador em especial nos bastidores. Em meio a performance iniciada com “Uprising”, faixa inaugural do EP auto intitulado de estreia, Steve Harris observava atentamente a exibição de seu filho George Harris junto aos companheiros de bandas Michael Burrough (vocal), Matt Cox (baixo), Dan Wright (guitarra) e Jai Patel (bateria). Em termos de set list, as 04 faixas do citado debut estiveram presentes no repertório (destacando-se o baixo cavalgante em “The Death March” e os riffs cativantes de “Eye Among The Blind), além de “Promise Land”, “The Merciful One” e o petardo “Salem’s Fate” – com ótima participação do público. O  empolgado vocal Michael Burrough empunhou uma bandeira brasileira antes de iniciar a faixa derradeira da apresentação, “Angel In Disgrace”, popular entre os presentes devido veiculação de vídeo clipe desta, finalizando o show com a tradicional foto junto ao público de fundo, marcando o debut do grupo no Brasil – a próxima vinda ainda será como sombra da banda do pai do guitarrista? Pergunta a ser respondida em uma futura apresentação, afinal, qualidade o quinteto demonstrou no palco, resta saber se o bastante para comandar um set maior.

Set List The Raven Age:
Uprising
Promise Land
The Death March
The Merciful One
Eye Among The Blind
Salem’s Fate
Angel In Disgrace

Anthrax - SP - mar-2016 - por Midiorama

O thrash metal oitentista marcou presença na sequência da noite com a presença do Anthrax no palco. Divulgando seu décimo primeiro álbum de estúdio ‘For All Kings’, os norte americanos optaram por iniciar a performance com um dos maiores clássicos da banda, “Caught In A Mosh” do ‘Among The Living’ (1987), seguida por “Got The Time” (‘Persistence Of Time’, 1990, cover de Joe Jackson) e “Antisocial” (‘State Of Euphoria’, 1988, cover da banda francesa Trust). Desfalcados do baterista Charlie Benante, o grupo contou na turnê brasileira com o excelente Jon Dette (Slayer, Testament, Iced Earth), completando a line up do show ao lado de Joey Belladonna (vocal), Frank Bello (baixo), Scott Ian e Jon Donais (guitarra). A performance prosseguiu mesclando faixas mais recentes como “Evil Twin” e “Breathing Lightning” do mais recente álbum e “Fight ‘Em ‘Til You Can’t” do ‘Worship Music’ (2011) com o petardo clássico “Medusa” do ‘Spreading Disease’ (1985). Para finalizar a noite, Andreas Kisser do Sepultura foi convidado ao palco para performar um dos maiores clássicos do thrash oitentista norte americano, “Indians”, com participação ativa do público, inclusive durante os acordes de “Refuse/Resist” em alusão ao participante especial. Em meio ao lançamento de ‘For All Kings’, a banda provavelmente retornará ao país com um full concert em breve para celebrar a repercussão deste bom lançamento junto aos fãs brasileiros.

Set List Anthrax:
Caught In A Mosh
Got The Time
Antisocial
Fight ‘Em ‘Til You Can’t
Evil Twin
Medusa
Breathing Lightning
Indians (com Andreas Kisser)

Iron Maiden - SP - mar-2016 - por Iron Maiden FacebookI

Em meio a cerca de trinta minutos de espera entre os preparativos finais no palco para receber os britânicos do Iron Maiden, pôde-se perceber o público se deslocando no interior do Allianz para conseguir uma localização o mais próximo possível do palco. A propósito, se nos shows anteriores da donzela de ferro em São Paulo notava-se um público predominantemente jovem, desta vez as faixas etárias presentes estavam mais niveladas, e principalmente notava-se que os fãs conheciam o material da banda (inclusive as músicas mais novas).

‘The Book Of Souls’ trata-se do primeiro lançamento de inéditas cinco anos após ‘The Final Frontier’, foi o quinto álbum do Maiden a chegar ao primeiro lugar das paradas inglesas, ficando também no topo de outros 23 países, incluindo o Brasil. A faixa título em si baseia-se na civilização Maia, e ilustra a temática do palco – das imagens de fundo fazendo referências a pirâmide ao Eddie estilizado como um indígena.

Por volta das 21h30m, o início do show apontava com a execução nos PA’s do Allianz Parque de “Doctor, Doctor” do UFO, seguida pelas luzes apagadas e o clipe de entrada nos telões. Bruce surgiu no palco defronte a um caldeirão proferindo as frases iniciais de “If Eternity Should Fail”, levando os presentes ao delírio, surgindo on stage na sequência Steve Harris (baixo), o trio Janick Gers, Dave Murray, Adrian Smith (guitarra) e Nicko McBrain (bateria).

Iron Maiden - SP - mar-2016 - por Iron Maiden Facebook

“Scream For Me São Paulo!” bradou Dickinson antes da segunda faixa da noite, “Speed Of Light” – a exemplo do que ocorre no track list de ‘The Book Of Souls’–, enquanto o clipe do primeiro single do referido álbum era exibido no telão, com destaque ao solo iniciado por Murray e finalizado por Adrian. “Estou triste porque este é o último show da nossa turnê aqui no Brasil, mas guardamos a melhor apresentação da turnê para São Paulo”, disse Bruce antes de cantar o clássico do álbum ‘The Number Of The Beast’ (1982), “Children Of The Damned”. Pincelada por Adrian Smith na introdução de guitarra, entoada categoricamente por um Bruce Dickinson inflamado, as lágrimas podiam ser visualizadas nos rostos de vários presentes antes da chegada do solo novamente a cargo de Adrian Smith, em um momento único para os fãs mais ávidos da donzela de ferro. Em meio a troca do pano de fundo e um Bruce boquiaberto com o público, o frontman após curto discurso anunciou “Tears Of A Clown”, uma das melhores faixas do novo álbum, em referência à Robin Williams falecido no ano de 2014.

Após nova troca de fundo, a noite seguiu com “The Red And The Black”, em meio a luz vermelha e público participando espetacularmente em interação com Bruce, e o revezamento do trio Adrian, Janick e Murray nos solos. O fechamento veio com o mestre Harris no baixo e ao alterar o pano de fundo, o público enlouqueceu pois chegara o momento de um dos maiores hits da donzela de ferro, o petardo “The Trooper” do ‘Piece Of Mind’ (1983). Os clássicos continuaram com nova troca no fundo e a faixa-título do álbum de 1984, “Powerslave”, em meio a presença imponente do público e Bruce com mascara à Rey Misterio (lutador mexicano de WWE).

Iron Maiden - SP - mar-2016 - por BudweiserII

O público vaiou pequeno princípio de briga na pista vip, em meio a enésima troca de fundo e o retorno da banda com mais uma faixa do TBOS, “Death Or Glory”. Destaque para o solo de Dave seguido por Adrian com Bruce sentado defronte ao mesmo fazendo caras e bocas para Smith. Nova mudança de fundo, Bruce discursou sobre a civilização maia comentando que “Impérios sempre caem” – alusão a política mundial? – e anunciou a faixa titulo do “The Book Of Souls”, um capítulo a parte na apresentação, a iniciar por Janick na guitarra acústica ao lado de Harris e regados a muita fumaça de gelo seco. Fogo, caldeirão, Bruce em mais uma apresentação teatral de tirar o fôlego e a presença de Eddie em meio a fumaça com público ovacionando a banda. Bruce arrancou o coração do Eddie e após coloca-lo no caldeirão em meio ao fogo, jogou o “órgão” ao público antes que Janick finalizasse a canção novamente com a guitar acústica em mãos.

O retorno do fundo inicial seguiu de maneira apoteótica: com o clássico “Hallowed Be Thy Name”. Bruce cantou balançando corda em referência a um enforcado, colocou no pescoço e seguiu interagindo como se estivesse em uma peça de teatro. Passado o episódio do câncer que afligiu o vocalista no ano passado, a expectativa quanto ao retorno do frontman e especialmente quanto a seu desempenho no palco resultou em uma constatação agradável aos fãs de música de qualidade: o tempo de respiração, técnicas empregadas e alcance de sua voz permanecem os mesmos de antes do tratamento, o que realmente impressiona colocando-se em pauta a idade acima dos 50 anos e quilometragem percorrida por Dickinson no palco em meio a performance teatral e constante interação com o público.

Iron Maiden - SP - mar-2016 - por BudweiserIII

Prosseguindo com o concerto, “Fear Of The Dark” do álbum homônimo de 1992, um sucesso comercial do grupo inglês, enlouqueceu o público, o qual providenciou um verdadeiro espetáculo de luzes, entoou corais de “ohhhh”, cantou cada trecho da letra ao lado de Bruce – por muitas vezes encobrindo a voz do frontman – e interagiu com Dikcinson durante os solos. Em meio ao ecstasy presente no ar do Allianz Parque, houve nova mudança de fundo e o clássico que dá nome a banda, “Iron Maiden”, trouxe o “Eddie the head” ao palco com destaque ao performático Janick Gers com sua guitarra.

A banda deixou o palco e o grito de “Olé olé olé olé Maiden Maiden” ecoou no Allianz Parque. Uma figura diabólica surgiu e o trecho bíblico narrado por Barry Clayton surgiu nos PA’s, era chegado o momento de “The Number Of The Beast”, com solo de Dave e interação magnífica do público. “Estamos tristes por deixar o Brasil, mas com certeza vamos voltar”, disse Bruce. “Viemos para o Brasil pela primeira vez em 1985, quando muitos de vocês nem eram nascidos. Já passamos por Curitiba, Belém, Recife, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, entre outras cidades. Mas sempre que viemos aqui percebemos a diferença. São Paulo é o coração pulsante do metal brasileiro”, afirmou o vocalista, antes de anunciar outra faixa com performance emocionante no palco, “Blood Brothers” do ‘Brave New World’ (2000). Seguiu-se a última troca de fundo e “Wasted Years”, do ‘Somewhere In Time’ (1986), arrancou palmas do público presente o qual cantou a faixa do início ao fim, antes da banda despedir-se e deixar definitivamente o palco.

Iron Maiden - SP - mar-2016 - por BudweiserI

Em meio a bandas clássicas as quais mantém set list e apresentações intactos com o passar dos anos, privilegiando o show business e álbuns de covers, o Iron Maiden durante suas quatro décadas de existência exalta a criatividade de suas composições e shows performáticos com interações teatrais mas acima de tudo, amor pelo que faz. Esta é a diferença entre privilegiar o business em detrimento do entretenimento não apenas do público como da própria banda, amar o que faz transparece no músico da mesma forma que estar no palco apenas por dinheiro com shows requintados. Um patrimônio da história da música como o Iron Maiden continua proporcionando momentos épicos aos fãs após quatro décadas, esta é a definição certeira que leva a legião de fãs da donzela de ferro renovar-se com o passar dos anos. Agradecimentos à Move Concerts e Midiorama pela produção do evento e credenciamento de nossa equipe na cobertura deste.

Set List Iron Maiden:
If Eternity Should Fail
Speed Of Light
Children Of The Damned
Tears Of A Clown
The Red And The Black
The Trooper
Powerslave
Death Or Glory
The Book Of Souls
Hallowed Be Thy Name
Fear Of The Dark
Iron Maiden

The Number Of The Beast
Blood Brothers
Wasted Years

(Visited 207 times, 4 visits today)