Rage Darkness: faixa a faixa do novo álbum

Rage Darkness - abr-2015

A música do RAGE DARKNESS é regada de sentimentos e sensações, não apenas em sua complexa mistura de Dark, Death, Modern e mesmo Prog Metal, mas também em seu conceito lírico. Para que possamos aproveitar ainda mais o recém-lançando debut ‘Engine Of Misanthropy’, o grupo nos apresenta um faixa-a-faixa.

Intro: apesar dos constantes acréscimos de influência, a Rage Darkness continua sempre mostrando a sua essência no Dark Metal com arranjos orquestrais e coral. O nome da banda como todo o conceito das letras de “Engine Of Misanthropy”, foram criados em cima da primeira música do então projeto “Silent War”.

Em seguida, “Morphine” mostra a evolução da banda em termos técnicos e mais velocidade nas composições comparadas as músicas dos EP’s lançados. Um pouco de Thrash, death e riffs de guitarra baseados em trítonos da idade média. Sim! Movimentos de Beethoven estão subliminarmente inseridos na agressividade desta música.

Após a morfina, “Fear Of Change” quebra qualquer rótulo singular que poderíamos dar ao álbum. É uma homenagem a Tom Englund (Evergrey) quando veio ao Brasil em turnê e conversou com o vocalista Vinne. Uma inspiração e tanto.

Infectando ainda mais o clima, a faixa “Virus” entra bem trabalhada e diversificada lembrando os anos 90 do industrial com death metal norte-americano, até o progressivo escandinavo com violões e variações de gutural e vocal limpo.

“Behind Your Eyes” aparece para acalmar, com intensas melodias de guitarra e boas estruturas de vocais limpos.

Mostrando a opressão do blackned death metal: “Thanks For Your Hostility”. O tema desta música agradece de forma irônica o abismo em que a humanidade caminha. A própria criação desenvolvendo devastação, a liberdade da ciência com efeitos colaterais irreversíveis acorrentados em sua própria órbita.

“Painful Farwell” com estilo ocidental, é uma faixa de protesto contra qualquer pessoa que tente ou tire a sua própria vida. Baseada em uma história real de um oficial militar que se despediu deste mundo de uma forma brutal.

“Trial Of Hate” apesar de ter vocais limpos, lembra algumas bandas de black metal no final dos anos 90, com teclados bem sacados dandomais força a agressividade das guitarras e vocais.

A versatilidade em formato semiacústico deste debut também é representada pela faixa “Inner Self”, com um bom trabalho de baixo e bateria e vocais bem encaixados ao um leve quarteto orquestral.

Uma mescla de Doom com Death Metal fica bem evidente com “Silent War”, uma grandiosa composição, com vocais soturnos e riffs de guitarra pesados e marcantes.

Fechando com o tema do CD, “Engine Of Misanthropy” protesta com agressividade o que nos leva a misantropia involuntária. A tecnologia nos afasta das experiências presenciais nos tornando muito mecânicos e sem emoção em contato com outras pessoas. A capa deste disco junto a letra e melodia é autoexplicativa: dentro de cada ser ainda existe coração e inocência, como uma criança, mas à nossa volta está tudo desgastado e chegando ao seu fim. Nos tornando pequenas engrenagens de isolacionismo social.

‘Engine Of Misanthropy’ foi gravado no Studio Bunker em Curitiba com gravação, mixagem e masterização por Alexandre Cegalla. Já a capa ficou por conta do artista Jean Michel (Keep Of Kalessin, Incantation, Ragnarok). Para ouvir e comprar pelo Bandcamp, visite o link: https://ragedarkness.bandcamp.com/releases .

O álbum também está disponível em sites como iTunes, Google Play. Interessados em comprar podem fazer através do site do RAGE DARKNESS: http://www.ragedarkness.com/#!buy/cz79.

‘Engine Of Misanthropy’ também está disponível em formato físico e pode ser encontrado diretamente com a banda por e-mail ou Facebook.

Sites relacionados:
www.ragedarkness.com
www.facebook.com/Rage.Darkness
www.metalmedia.com.br/ragedarkness

Fonte: Metal Media

(Visited 8 times, 1 visits today)