Especial Dia das Crianças: músicos prodígios

Cavalera Conspiracy - 2015 por divulgacao

Texto por Arony Martins – o conteúdo expresso reflete a opinião do autor, é de inteira responsabilidade deste

Reconhecido internacionalmente, o dia das crianças é comemorado no Brasil dia 12 de outubro. Seguramente após o dia de seu aniversário, a grande maioria delas aguarda ansiosamente por essa data. Dia 12 é data para ganhar brinquedos, com certeza. Todavia para muitos foi dia de ganhar aquela guitarra, baixo ou bateria tão sonhada. Muitos dos músicos os quais mais admiramos começaram ainda muito cedo não somente seu aprendizado na música, mas também suas mais do que bem sucedidas carreiras. E em homenagem ao dia daqueles que vemos como o futuro de nosso país resgataremos um pouco da história de alguns artístas que chegaram ainda crianças (ou mesmo na adolescência) ao mainstream e estão por aí até hoje fazendo muito bem aos nossos ouvidos.

Alanis Morissette
A cantora canadense Alanis Morissette iniciou sua carreira artística muito cedo, aos doze anos,  participando  de um programa infantil de TV na Nickelodeon chamado “You Can’t Do That On Television”. Em 1988, com quatorze anos, Alanis já assinava seu primeiro contrato com a gravadora MCA Records. Seu primeiro álbum foi lançado em 1991. Nesse mesmo período Alanis ganhou popularidade ao ser indicada ao prêmio Juno (uma espécie de Grammy Awards canadense) em três categorias:  “Cantora Mais Promissora do Ano”, “Single do Ano” e “Melhor Clipe de Dança”. Alanis ganhou os dois últimos. A partir dali, foi questão de tempo seu sucesso mundial ocorrido com o álbum “Jagged Little Pill”, de 1995.

Irmão Busic
Filhos do trompetista de Jazz André Busic, Ivan e Andria, então com 15 e 16 anos,  se juntaram ao guitarrista Daril Parisi em 1981. A reunião foi o início do que veio a ser uma das primeira bandas de hard rock do Brasil, a Platina. Com um princípio de carreira muito bem sucedida , os prodígios irmãos Busic ainda integraram a banda Taffo, com o histórico guitarrista Wander Taffo ao final da década de 1980 até fundarem o Dr. Sin.

https://www.youtube.com/watch?v=jjckocJBVLU

Irmãos Cavalera
Uma das mais bem sucedidas bandas de thrash metal da história iniciou sua trajetória no pátio de uma escola. Isso mesmo, em 1983 os irmãos Igor e Max Cavaleira então com 13 e 14 anos sucessivamente, convidaram os coleguinhas Paulo Jr. e Jairo Guedez para formar uma banda. Um ano depois já assinavam seu primeiro contrato profissional. Em 1986 lançaram seu primeiro álbum e em muito pouco tempo o nome Sepultura já estaria sendo internacionalizado, reconhecido até hoje como um dos mais fortes do estilo em todo o mundo.

Joe Bonamassa
Joe deu seus primeiros passos na música aos 04 anos de idade, quando teve seu primeiro contato com o instrumento que o tornou um dos gênios modernos do Blues. Aos 09 ove anos já se apresentava em bares de sua cidade. Aos 12 fez apresentações de abertura para o lendário B.B. King com sua banda Smokin’ Joe Bonamassa. Aos 15 participou da banda Bloodline com os filhos de Miles Davies, Robby Krieger (The Doors) e Berry Oakley (The Allman Brothers). Mesmo com tanta badalação ainda tão jovem, Joe somente lançou seu primeiro álbum de estúdio aos 23 anos. Entretanto o sucesso não cessou e Bonamassa é hoje reconhecido como um dos principais nomes da guitarra em todos os tempos.

Michael Kiske
Considerada uma das mais belas vozes do heavy metal em toda a história, Michael Kiske teve uma carreira que podemos considerar meteórica. Ainda com 17 anos já cantava em elevadíssimo nível em uma banda de amigos de escola chamada I´ll Prophecy. A qualidade, potência e técnica apuradíssima chamou atenção dos músicos da já estabelecida Helloween, e Kiske passou a ocupar o posto de vocalista principal do grupo, antes a cargo do guitarrista Kai Hansen. O sucesso foi assombroso. Até hoje os dois primeiros álbuns da banda ‘Keepers Of The Seven Keys Part  I’ e ‘Keepers Of The Seven Keys Part II’ são campeões de vendas. Contudo, com a saída de Kai Hansen no final dos anos 80, a morte do baterista Ingo Schwichtenberg e as difículdades de relacionamento, fizeram com que Kiske deixasse a banda em 1993. Após anos de ostracismo, eis que Michael Kiske e Kai Hansen retornaram com o excelente Unisonic nos brindando, inclusive, com apresentação em terras brasilis.

Michael Schenker
Michael Schenker é um dos guitarristas mais conceitudos da história do rock e foi um dos membros que fundaram a banda alemã Scorpions, juntamente com seu irmão mais velho, Rudolf Schenker. Com apenas 16 anos, gravou o primeiro álbum da banda ‘Lonesome Crow’. O sucesso prematuro fez com que ficasse conhecido como “Wunder Kid”. Sua maturidade e técnica apuradíssima chamou atenção da também alemã UFO, fazendo com que Michael deixasse o Scorpions em 1973. Em 1980 deixa o UFO para fundar sua bem sucedida banda solo, o Michael Schenker Group.

Neal Schon
Mais prodígio que Neal Schon, de verdade, eu não conheço. Com 15 anos já integrava a fantástica banda Santana dividindo as atenções com nada mais nada menos que o lendário guitarrista Carlos Santana. Além disso foi convidado por Eric Clapton para integrar sua banda Derek and the Dominos. Tão jovem deixou sua casa para acompanhar o músico mexicano em  tours mundiais. E não voltou mais! Em 1973 deixou o Santana para fundar a mais do que renomada Journey e a partir dali, Neal se tornou uma das principais referências de seu instrumento em todo o mundo.

Silverchair
A banda foi formada em 1992, quando os integrantes Daniel Johns, Chris Joannou, Ben Gillies tinham entre 12 e 13 anos de idade. Em 1994, após vencer uma competição nacional chamada “Pick Me”, promovida pela televisão Nomad da rede SBS e pela rádio alternativa Triple J, apresentando a canção “Tomorrow”, o Silverchair ganhou projeção, assinando assim seu primeiro contrato com a Sony Music, tendo o primeiro álbum em 1995, ‘Frogstomp’. Todavia foi com ‘Freakshow’ de 1997 que o Silverchair atingiu projeção mundial. O álbum vendeu aproximadamente 3 milhões de cópias no mundo todo e seus integrantes no dado momento ainda nem eram maiores de idade.

Avery Molek
Essa criança, para não dizer bebê, com cinco anos já apresentava suas habilidades em seu canal no youtube tocando com extrema competência “Detroit Rock City” do Kiss. Para quem eu mostrava o vídeo os respectivos queixos desabavam. E uma discussão se travou: com quantos anos esse pequeno prodígio apresentaria alguma canção do Rush. E com 06 anos já postava um vídeo executando com maestria “Fly by Night”. E então naturalmente se imaginou que com 15 anos o pequeno já estaria tocando peças de Mike Portnoy. Erramos e muito. Com 08 Avery já nos surpreendia com “Dance Of Eternety”. E se todos os artistas supracitados tiveram carreiras muito bem sucedidas fica aqui nossa torcida para que o pequeno Molek também percorra seu caminho com muito sucesso. Parabéns a todas as crianças!!!!

(Visited 19 times, 1 visits today)