Odins Krieger Fest – 15-08-2015 – São Paulo (Clash Club)

+++++Tuatha de Danann - Odins Krieger Fest - Clash Club - SP - ago-15 - por Rodrigo Monteiro HDR Photo Art & Design VITexto por André Luiz – Fotos por Rodrigo Monteiro – Edição por André Luiz

Sucesso de público, bandas nacionais autorais de qualidade, local inédito, grande estrutura disponível aos músicos, variedade de expositores. Estes foram alguns pontos de destaque da nova edição do Odin’s Krieger Fest, que aconteceu no sábado, 15 de agosto, na Clash Club em São Paulo e recebeu um público recorde de 1200 pessoas as quais esgotaram os ingressos antecipadamente para o principal evento folk/viking da cidade. Na line up, apresentações das bandas Tuatha de Danann, Hugin Munin, Taberna Folk, Arthanus e Barbaria, além de lutas nórdicas com Filhos de Rigr, comercialização de hidromel, vendas e exposição de produtos medievais.

+ Barbaria - Odins Krieger Fest - Clash Club - SP - ago-15 - por Rodrigo Monteiro HDR Photo Art & Design IV

As apresentações iniciaram-se as 16h10m com a banda de Mogi Mirim, Barbaria. Draco Louback (vocal), Marcelo Niero (bateria), Renan Toniette e Marcelo Louback (guitarra) executaram um set list contendo novas composições do próximo álbum, além de faixas do full lenght ‘Watery Grave’ (2013). Os bucaneros (como são conhecidos) mesclaram em seu repertório faixas em português e inglês, com destaque à “Canção do marinheiro” e a participação ativa do público em “Uma garrafa de rum”.  Antes de “Velas negras”, Draco comentou sobre problemas com integrantes e que por este motivo os guitars revezavam entre seu instrumento e o baixo (‘por isso o Krisiun está na ativa até hoje, quanto menos melhor’ citou o vocalista). Encerraram a performance com “Blackbeard” (single do álbum de 2013), boa participação do público e a tradicional foto com a platéia ao fundo.

++ Arthanus - Odins Krieger Fest - Clash Club - SP - ago-15 - por Rodrigo Monteiro HDR Photo Art & Design VI

Poucos minutos depois, o mestre de cerimonias do evento anunciou o viking metal da banda Arthanus. Oriundos de São Caetano do Sul, atualmente os integrantes estão em processo de gravação do seu primeiro álbum (full length) com lançamento previsto para meados deste ano. Após uma breve “Intro”, Thiago Ap (vocal), Saulo Peghin e Fellipe Magri (guitarra), Atila Paloppi (baixo) e Gustavo Abreu (bateria, substituindo temporariamente Rogério Luque) iniciaram o show com “Ode To My Enemies”.  A cadência de “Fenrir The Giant Wolf” mesclando riffs de guitarra e a poderosa voz de Tiago foi um dos destaques do show. Seguiram a performance com “Fear The Berseker” e após apresentação dos integrantes, “Thunder” levantou o público demonstrando momentos cadenciados com outros mais rápidos e ‘screams’ de Thiago. Para encerrar, “Asgard Palace” cativou a Clash Club novamente, com destaque para os presentes bradando o refrão ‘take me to the Asgard Palace’. Da qualidade das composições ao potente recurso de voz comentado entre algumas pessoas no público com quem interagi durante o show, pode-se dizer que o debut album do Arthanus cresceu em expectativa após a coesa apresentação na edição 2015 do Odin’s Krieger Fest.

Após o show do Arthanus, surge uma figura no palco pedindo para o público se afastar; desta forma em questão de minutos abriu-se um clarão no meio da pista e o grupo Filhos de Rigr fizeram demonstrações de Lutas nórdicas durante cerca de 15 minutos, empolgando os presentes.

Fim de exibições, passaram-se alguns minutos e o mestre de cerimônias Rubstein Wilker retornou ao palco para anunciar a banda de Santos (SP) Hugin Munin. Divulgando o EP ‘Mountainbreaker’ (2014), que deu sequência ao excelente resultado conquistado no debut álbum ‘Ten Thousand Spears for Ten Thousand Gods’, Surt (vocalista), Thorgrim (guitarra), Hjalmar (guitarra), Carcharoth (baixo) e Troll (bateria) iniciaram sua performance com “Viking Brothers” e uma grande presença de público próximo ao palco, o qual literalmente se degladiava no mosh pit em meio a pista. ‘Parabéns ao público que esgotou os ingressos de um evento só com banda nacional… E vcs ae do meio tô curtindo, aki é ragnarok, não tem amanhã’, discursou o frontman antes de “Look Skyward And Despair”, presente no EP ‘Mountainbreaker’.

+++ Hugin Munin - Odins Krieger Fest - Clash Club - SP - ago-15 - por Rodrigo Monteiro HDR Photo Art & Design II

Uma breve intro de bateria precedeu “Ashes Of My Enemies”, com direito a público ‘correndo em círculos’ no mosh pit a pedido do vocal. A exemplo do ocorrido na edição passada do festival, a banda gravou a performance da música inédita “What Lies Below” para lançar posteriormente em vídeo clipe. Surt destacou-se em meio a empolgação com a presença maciça de público na Clash Club, e desta forma a Hugin Munin seguiu com “Flight Of Ravens” e “Heroes Rise”, finalizando com o petardo “Death Or Glory”, em meio a participação ativa dos presentes (‘se o HM vier no próximo Odins vocês vem ver a gente tocar?’ questionou o frontman, recebendo um alto brado vindo da pista respondendo afirmativamente). Ao final, ainda restou tempo para uma curta interação de Surt com o público entoando ‘viking brothers’ em alto e bom som, comandando um violento ‘wall of death’ e fechando com a tradicional foto junto aos presentes. É importante o surgimento de novas bandas no cenário nacional, porém o que se observa na atuação on stage da banda e da resposta da platéia é a consolidação de um nome que não pode mais ser considerado uma revelação, mas sim um grupo ascendente na cena heavy nacional.

Set List Hugin Munin:
Viking brothers
Look Skyward and Despair
Ashes Of My Enemies
What Lies Below
Flight Of Ravens
Heroes Rise
Death Or Glory

Passada sequência de três apresentações literalmente de peso, o momento seguinte seria de descontração. Cadeiras no palco, músicos a postos afinando instrumental e por fim, o anúncio da banda Taberna Folk na edição 2015 do Odin’s. Formada no ano de 2008 na cidade de Cosmópolis (SP), o quinteto formado por Ricardo Amaro (Violão, flauta, gaita de fole e vocal), Luis Romagnolo (violão, bandolim e vocal), Karina Moreno (percussão e vocal), Hugo Taboga (percussão e flauta) e Anderson Bardo (violino, harpa e vocal) iniciou sua performance com temas medievais ao melhor estilo taberneiro.

++++ Taberna Folk - Odins Krieger Fest - Clash Club - SP - ago-15 - por Rodrigo Monteiro HDR Photo Art & Design XIII

Após as instrumentais “After A Hard Day” e “Ballydesmond Polka”, os músicos pediram alguns ajustes tanto no retorno quanto no volume de instrumentos/mics. A medida que o set era discorrido, o público interagia cada vez mais em meio as histórias contadas pelos músicos antes do anúncio/execução de faixas como “In Taberna”, “Drunken Sailor”, “Canecos”, “Drunken Lullabies” e “Rocky Road To Dublin”. O público participou o tempo dançando e batendo palmas ao melhor estilo taberneiro, incluindo momentos nos quais ocorriam ‘invasões’ ao palco de pessoas do backstage para danças descontraídas. “Estamos todos bêbados” do Matanza e “Sieben Tage Lange” finalizaram a apresentação em alto estilo, uma performance cativante a qual cito como principal destaque da Odin’s 2015.

Set List Taberna Folk:
After A Hard Day
Ballydesmond Polka
Lanningan’s Ball
In Taberna
Jeg Sa Ein Ulf
Mead Party
Drunken Sailor
I’se The b’y
Canecos
Drunken Lullabies
Rocky Road To Dublin
Estamos todos bebados
Sieben Tage Lange

A Clash Club encontrava-se completamente cheia quando a banda mineira Tuatha de Danann foi anunciada. Bruno Maia (vocal, flauta, guitarra, mandolin e banjo), Rodrigo Berne (guitarra e scream vocal), Giovani Gomes (baixo e scream vocal), Edgard Brito (teclado), Rodrigo Abreu (bateria) e Alex Navar (Uilleann Pipes) encontram-se em plena tour de divulgação do álbum ‘Dawn Of A New Sun’, o primeiro de inéditas após 11 anos. Após a “Intro”, os músicos surgiram no palco com “We’re Back”, do recem lançado trabalho, seguida pelo classico “Tan Pinga Ra Tan” para alvoroço dos presentes. O set seguiu mesclando faixas novas como “The Brave And The Herd” e “Sack Of Stories” com outras da década passada como “Us”, “Behold The Horned King” e “Dance Of A Little One’s”, e desta forma o terreno foi preparado para o final com alguns dos principais clássicos dos mineiros.

Mesmo com o corte de “Battle Song” e “Brazuzan” (provavelmente devido ao horário para entrega da Clash por força de contrato), Bruno Maia e companhia não deixaram o ritmo do público cair com as faixas do ‘Trova de DAnú’ (2002) “Land Of Youth (Tir Nan Og)” e “Bella Natura”, precedendo a trinca final de petardos bradados em alto e bom som pelos presentes “The Last Words”, “Believe It’s True” e a derradeira “Finganforn”. Onze anos após, o Tuatha demonstrou no palco da Clash Club que o hiato no lançamento de músicas inéditas não diminuiu a grande aceitação do público à banda, que nos anos 2000 marcou seu nome como figura carimbada no Brasil Metal Union e nos principais eventos rock do país.

+++++ Tuatha de Danann - Odins Krieger Fest - Clash Club - SP - ago-15 - por Rodrigo Monteiro HDR Photo Art & Design IV

Findadas cinco apresentações musicais de alto nível, a edição 2015 do Odin’s Krieger Fest demonstrou que ainda há espaço para bandas autorais no país, e que em meio a uma cena heavy atual na qual muitas vezes o que vem de fora é mais valorizado do que o produto nacional, quando o evento é trabalhado de maneira profissional, priorizando qualidade ao público e estrutura às bandas, o sucesso é iminente. Porque sim, um evento sold out com 1200 ingressos vendidos antecipadamente aconteceu em pleno 2015 em São Paulo apenas contendo atrações nacionais no cast. Agradecimentos à Rodrigo Rossi e Sirleide Patriota pela produção do evento e credenciamento de nossa equipe.

Set List Tuatha de Danann:
Intro
We’re Back
Tanpingaratan
Behold The Horned King
Cortada Battle Song
The Brave And The Herd
Us
Cortada Brazuzan
Dance Of A Little One’s
Sack Of Stories
Land Of Youth (Tir Nan Og)
Bella Natura
The Last Words
Believe It’s True
Finganforn

(Visited 57 times, 1 visits today)