Glenn Hughes – 16-08-2015 – São Paulo (Carioca Club)

Glenn Hughes com Doug Aldrich - SP - há-2015 - Por Costabile Salzano Jr IV

Texto por Álvaro Ramos – Fotos por Costábile Salzano J. (The Ultimate Music) – Edição por André Luiz

Quase seis anos após ter visto um show do Glenn Hughes no Carioca Club, ontem foi o dia de voltar àquela mesma casa para rever esta lenda ao vivo. Como não poderia deixar de ser, por volta das 18h, a fila já estava repleta de fãs das bandas pelas quais Glenn passou: Deep Purple, Trapeze, Black Sabbath… Mas desta vez os presentes puderam notar também uma grande quantidade de fãs de Whitesnake, que estavam lá para ver o convidado especial, Doug Aldrich, que a pouco mais de um ano deixou a banda de David Coverdale. Algum tempo depois a entrada na casa foi liberada, e por volta das 19h30m já havia uma grande quantidade de fãs ansiosos pelo início do show. Foi então que pontualmente às 20h30m, com o Carioca Club já completamente cheio, as luzes se apagaram e o dono de uma das maiores vozes do rock entrou no palco acompanhado do competentíssimo baterista sueco Pontus Engborg e do grande Doug Aldrich, que dispensa maiores apresentações.

Para começar o show com toda a força e mostrar o que estava por vir, foi escolhida a clássica “Stormbringer”, faixa-título do álbum homônimo, gravado pelo Deep Purple em 1974. Antes mesmo do final da primeira música, Glenn mostrou o quanto faz jus ao apelido de The Voice of Rock; prestes a completar 63 anos, atinge notas agudas com tanta simplicidade que parece estar brincando de cantar! Na sequência, a pesada “Orion”, de seu trabalho solo ‘Soul Mover’, que ao vivo tem um efeito indescritível. Ao término da mesma, Glenn aproveita para dar uma pausa e cumprimentar seus fãs, dizendo o quanto sentiu saudade de São Paulo, e que era uma honra estar de volta. Mas para não quebrar muito o ritmo, Glenn e Cia já dispararam a primeira música do Trapeze da noite; “Way Back To The Bone” foi a escolhida para dar sequência ao show.

Glenn Hughes com Doug Aldrich - SP - há-2015 - Por Costabile Salzano Jr

Antes de iniciar a música seguinte, Glenn aproveitou para conversar mais uma vez com o público, contando sobre quando veio ao Brasil ano passado para assistir alguns jogos da Copa do Mundo, e relatou ter conhecido muitos brasileiros neste período, aumentando ainda mais o carinho pelo nosso país. Após outros elogios ao Brasil e ao povo daqui, o show seguiu com mais uma do Deep Purple; “Sail Away”, cantada em uníssono pelos fãs. Na sequência, “Touch My Life” do Trapeze. Glenn anunciou que tocaria o primeiro single lançado pelo Black Country Communion, supergrupo do qual fez parte, “One Last Soul”, e pediu desculpas aos fãs por não ter tocado no Brasil quando o grupo ainda existia.

A seguir, mais uma do Deep Purple; “Mistreated” foi cantada em coro por todos os presentes, sendo na opinião de muitas das pessoas com as quais conversei sobre o show, o ponto mais alto e emocionante da noite! Após a execução de “Mistreated”, um momento inusitado para quem havia assistido às duas últimas passagens dele pelo Brasil; Glenn e banda executaram “Good To Be Bad”, em homenagem ao Whitesnake, ex-banda de Doug Aldrich. Glenn aproveitou também para distribuir elogios ao ‘grande amigo David Coverdale’, segundo suas próprias palavras. Para dar continuidade, mais uma de sua carreira solo, “Can’t Stop The Flood”.

Glenn Hughes with Doug Aldrich - SP - ago-2015 - por Costabile Salzano Jr XI

Ao término da mesma, uma jam de Doug e Pontus, que demonstraram um pouco do talento e domínio de seus instrumentos. Vale aproveitar para fazer um elogio a Doug Aldrich, que durante o show fez parecer que havia no mínimo duas guitarras no palco! Após alguns minutos, Doug sai do palco, deixando somente o baterista Pontus, que emendou com um solo de quase cinco minutos.

Após agradecimentos, Glenn e Doug voltam ao palco para a execução de “Sweet Tea”, do California Breed (banda também formada por Glenn Hughes e Jason Bonham, assim como o Black Country Communion) e “Addiction”, uma das músicas mais conhecidas de seus trabalhos solo. “Soul Mover”, faixa título do álbum solo homônimo, foi a escolhida para fechar a primeira parte do show. No dado momento, Glenn aproveitou para se despedir do público, agradecer pela presença de cada um de seus fãs, e anunciar que voltaria em breve.

Como esperado, após a saída da banda, o público continuou querendo mais, e após alguns minutos Glenn voltou para a execução de “Black Country”, também do Black Country Communion. Apesar do setlist variado que satisfez todos os presentes, ainda faltava alguma coisa para que o show pudesse ser realmente encerrado: “Burn”, clássico absoluto do Deep Purple e que não poderia ficar de fora, foi então executada, levando o público à euforia, e encerrando o show da melhor forma possível. Juntamente com “Mistreated”, foi um dos pontos mais altos do show, no qual Glenn Hughes demonstrou a energia, voz e competência que possue, além do domínio do baixo durante todo o show. Após a execução de “Burn”, Glenn, Doug e Pontus se despediram do público, para a tristeza dos fãs.

Glenn Hughes with Doug Aldrich - SP - ago-2015 - por Costabile Salzano Jr III

A boa notícia para quem estava lá, ou para quem gostaria de ter ido e não pôde ir é que Glenn Hughes demonstrou ter energia e voz de sobra, e se cumprir sua promessa, ainda deve voltar muitas vezes ao Brasil para nos mostrar a “Voz do Rock”! Agradecimentos à Overload pela produção do evento e Costábile Jr. pelo credenciamento de nossa equipe e imagens que ilustram esta matéria.

Set List Glenn Hughes:
Stormbringer (Deep Purple)
Orion
Way Back To the Bone (Trapeze)
Sail Away (Deep Purple)
Touch My Life (Trapeze)
One Last Soul (Black Country Communion)
Mistreated (Deep Purple)
Good To Be Bad (Whitesnake)
Can’t Stop The Flood
Jam Doug & Pontus/Solo de bateria
Sweet Tea (California Breed)
Addiction
Soul Mover

Encore:
Black Country (Black Country Communion)
Burn (Deep Purple)

(Visited 56 times, 1 visits today)