Nile e Satan – 24-05-2015 – São Paulo (Clash Club)

Satan - Open The Road Fest - mai-2015 - SP - por Fernando Martins_MG_5362

Texto por Juliana Novo – Fotos por Fernando Martins – Edição por André Luiz

Noite de grandes atrações para todos os gostos metálicos: tendo o Nile, uma das maiores bandas de death metal técnico voltando mais uma vez ao Brasil – prestes a lançar seu novo álbum ‘What Should Not Be Unearthed’ em agosto deste ano, em seguimento ao ‘At The Gate Of Sethu’, que foi lançado em 2012 – e os ingleses do Satan vindo pela primeira vez ao Brasil após sua volta à ativa e lançamento do álbum ‘Life Sentence’ em 2013 – e que também estão para lançar um novo álbum ainda neste ano, para o delírio dos amantes de NWOBHM. Além do headliners, a noite terceira edição da Open The Road Fest contou com os paulistas do Cemitério e os paranaenses do Deranged Insane.

Já haviam várias pessoas dentro do Clash Club quando a banda paulistana Cemitério começou sua apresentação por volta das 18h. Banda de Hugo Golon, um cara muito conhecido na cena por suas participações em várias renomadas bandas paulistas, seu som é calcado no death metal antigo estilo Possessed, Death dos primeiros álbuns, com pegadas thrash e letras sombrias sobre filmes de terror, cantadas em português. A banda chegou com muita energia ao palco, fazendo o público agitar bastante com sons de seu álbum autointitulado “Cemitério”, e terminou o show às 18h30m.

A banda seguinte foi o Deranged Insane, de Londrina. Passaram seu som no intervalo, e logo depois começaram às 19h, com um volume vindo dos PA’s desnecessariamente ensurdecedor, fazendo o som do baixo saturar em vários momentos do show. O grupo executa um grindcore clássico, e estavam divulgando seu recente álbum ‘Armageddom Cantuum’.

Nile entrou às 20h12m no palco, com o Clash Club já praticamente lotado, começando com uma intro, e logo após “Sacrifice Under Sebek”, mas logo na primeira música ocorreu um problema técnico no amp da guitarra de Karl Sanders, os fazendo parar.  Os músicos agradeceram pela paciência da plateia, e após alguns minutos começaram novamente com a destruição sonora sem fim. Do álbum ‘Black Seeds of Vengeance’ tocaram a brutal “Defiling The Gates Of Ishtar”, do ‘Those Whom The Gods Detest’ as grandiosas “Kafir!”, e “Hittite Dung Incantation”, e do último trabalho, a cadenciada “Supreme Humanism Of Megalomania”. Dallas Toler-Wade e Karl Sanders pareciam bem entusiasmados com o grande público e agradeceram pela presença do pessoal que agitou muito durante o show.

Nile - Open The Road Fest - mai-2015 - SP - por Fernando Martins_MG_5167

Seguiram com a podreira antiga “The Howling Of The Jinn”, e ainda do álbum ‘At The Gates Of Sethu’ rolou a suprema “The Inevitable Degradation Of Flesh”. Do álbum ‘In Their Darkened Shrines’ tocaram a sombria “Sarcophagus”, mencionando ser a primeira vez em que tocavam a referida música em São Paulo. “Lashed To The Slave Stick” seguiu a performance da banda, mas o grande momento do show foi quando tocaram a “Black Seeds of Vengeance” com a participação surpresa do guitarrista Moyses Kolesne do Krisiun, dando suporte nos vocais. A banda deixou o palco por volta de 21:12m.

Após uma demorada pausa, os ingleses do Satan entraram no palco às 22h, matando a fome dos headbangers com seu heavy/speed metal que influenciou a New Wave Of British Heavy Metal, apresentando vários clássicos focando mais nos álbuns ‘Court In The Act’, de 1983 e ‘Life Sentence’, último álbum lançado em 2013, ambos gravados com a mesma formação. Começaram com “Into The Fire”, “Trial By Fire” e “Blades Of Steel”, do ‘Court In The Act’. Seguiram com “Time To Die” e “Twenty Twenty Five“ do último álbum ‘Life Sentence’, e retomaram ao ‘Court In The Act’ com “Break Free”.

Executaram mais sons do último álbum como “Cenotaph” e “Life Sentence”, alternaram para “The Ritual” do ‘Court In The Act’, “Siege Mentality” do ‘Life Sentence’, o clássico das antigas “Oppression”, e retomando o último álbum com a maravilhosa “Incantations”. Brian Ross disse que estavam imensamente gratos à produção e ao pessoal que compareceu ao evento. Vale mencionar que a banda tocou impecavelmente todo o setlist, e Brian continua com uma voz em pleno vigor após todos estes anos. Logo após, rolou “Testimony” também do último álbum, e o vocalista foi apertando a mão de todos que estavam próximo ao palco, inclusive desta que vos escreve. Na parte derradeira da noite, tocaram “Alone In The Dock” do ‘Court In The Act’, e se despediram com “Kiss Of Death” no encore. O show terminou por volta de 23h15m, e em poucos instantes o vocalista saiu do palco para atender todos os fãs na pista do Clash Club. Agradecimentos e parabéns ao Silvio Rocha da Open The Road Agency pela produção do evento e credenciamento de nosso veículo.

(Visited 41 times, 1 visits today)