Obituary – 04-04-2015 – São Paulo (Clash Club)

Obituary - São Paulo - abr-2015 - po Edi FortiniIII

Texto por Juliana Novo – Fotos por Edi Fortini – Edição por André Luiz

Um dos nomes mais respeitados do death metal mundial, o Obituary retornou ao Brasil para uma grande turnê com oito apresentações no país. Promovendo o álbum ‘Inked in Blood’, John Tardy (vocal), Donald Tardy (bateria), Trevor Peres (guitarra), Terry Butler (baixo) e Kenny Andrews (guitarra) desembarcaram em São Paulo para apresentação no Clash Club, diante de um grande público presente na casa de shows.

Test - São Paulo - abr-2015 - po Edi Fortini

Enquanto os headbangers ainda adentravam o Clash Club, a banda Test já foi começando pontualmente sua apresentação, às 19h. Com um som que mistura grindcore e pegadas death/thrash, e tocando sem baixista (apenas guitarra/vocal e bateria), a dupla do Test empolgou os presentes. Destaque para o baterista Barata, que soube explorar muito bem seu kit de bateria com pouquíssimos pratos. João Kombi por sua vez, manda bem nos vocais e com sua guitarra suja, mas os graves misturados à distorção estavam um tanto ensurdecedores, o que deu a impressão de intencionalmente compensar a falta de um baixista.

Obituary - São Paulo - abr-2015 - po Edi FortiniVII

Por volta de 20h os americanos do Obituary subiram no palco, e fizeram um show matador para promover o álbum Inked In Blood, embora que tocando poucas músicas do novo álbum como “Century Of Lies”, “Visions In My Head”, ‘Violence”, e passando mais pelos clássicos do primeirão ‘Slowly We Rot’ como “Bloodsoaked”, “Immortal Visions”, “’Til Death”, do ‘Cause Of Death’ como “Infected”, do ‘End Complete’ como “Back to One” e “Dead Silence”, já do ‘World Demise’ escolheram a bastante conhecida “Don’t Care”.

John Tardy estava visivelmente feliz, agradecendo a recepção do público, que compareceu em peso, deixando a casa praticamente lotada. Trevor Peres também agitava muito. O público gritou várias vezes pela banda e fizeram uma grande roda na pista, o que era de se esperar devido a tantas podreiras clássicas sendo executadas com perfeição.

Perto do final, houve um solo de bateria com o groove característico de Donald Tardy, e após a cadenciada faixa título do último álbum “Inked In Blood”, outra das antigas foi executada, “I’m in Pain”, e para terminar com chave de ouro, a clássica “Slowly We Rot”. Os músicos também merecem créditos por terem atendido os fãs com simpatia após o término deste grande show. Agradecimentos à Overload pela produção e Costábile Jr. pelo credenciamento de nossa equipe na cobertura do evento.

(Visited 71 times, 2 visits today)