Foo Fighters – 25-01-2015 – Rio de Janeiro (Estádio do Maracanã)

Foo Fighters - Rio de Janeiro - jan-2015 - por Marcos Hermes T4F VIII

Texto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Marcos Hermes / T4F – Edição por André Luiz

Domingo de sol e Maracanã é uma das combinações favoritas do carioca. Só que desta vez, o público que praticamente lotou as dependências (45 mil pessoas) do famoso estádio não estava lá para assistir um jogo, e sim um show de rock. Pela primeira vez desde a grande reforma pela qual o estádio passou para a Copa do Mundo, o Maracanã recebeu um grande show de rock.

RAIMUNDOS

Por incrível que pareça, mesmo tendo conhecido a banda Raimundos lá pelos idos de 1996, nunca havia tido uma chance de ver a banda ao vivo. Seja com a formação clássica, ou com essa nova encarnação do grupo que tem feito shows e lançado discos. A banda atualmente está promovendo o disco “Cantigas de Roda”, lançado no ano passado. Curiosamente, o grupo não apresentou nenhuma música do novo trabalho e preferiu se concentrar nos sucessos.

Com pouco tempo disponível para sua apresentação, a banda escolheu basear setlist em alguns de seus maiores sucessos como “Eu quero ver o oco”, “Esporrei na Manivela” e os hits “I Saw You Saying (That You Say That You Saw)” e “Mulher de Fases”. Fecharam a apresentação com o clássico “Puteiro em João Pessoa”. Um show bem legal de um dos grandes nomes do rock nacional na década de 1990, mesmo diante do pouco tempo de palco. Difícil saber quem se divertiu mais: a banda ou o público que ainda chegava ao Maracanã.

Setlist
Eu quero ver o oco
Esporrei na Manivela
Nega Jurema
Mulher de fases
Palhas do Coqueiro
I Saw You Saying (That You Say That You Saw)
Me Lambe
Puteiro em João Pessoa

KAISER CHIEFS

Kaiser Chiefs - RJ - jan-2015 - por Marcos Hermes T4F

Em seguida foi a vez dos ingleses do Kaiser Chiefs. Em sua terceira passagem pelo país, a banda ainda não conseguiu alcançar o status de headliner. Ou toca em festival ou abre shows de outros nomes. Dessa vez não foi diferente. Com pouco mais de cinquenta minutos em cima do palco, o grupo britânico conseguiu mesclar bem seu setlist entre músicas mais conhecidas como “Oh My God” e “Ruby”, com “Everyday I Love You Less And Less” e“I Predict A Riot” que fizeram a alegria dos seus fãs, e mais novas, tipo “Coming Home” (com o tecladista Nick Baines e o baixista Simon Rix usando camisas da seleção do 7 a 1) e “Misery Company”.

No geral, foi um bom show, embora em certos momentos tenha passado a sensação de que a banda estava deslocada com um show entre os Raimundos e o Foo Fighters. Seus fãs provavelmente não ligam muito para a banda brasileira, e os que estavam ansiosos pelo Foo Fighters demonstraram certo desdém pelo aclamado grupo indie. Fato curioso é que a banda parece não se incomodar com o fato de ainda ser escalada como banda de aquecimento para nomes mais consagrados, pelo contrário, em certos momentos eles parecem até demonstrar certo orgulho desse rótulo. Fato evidenciado pelo vocalista Ricky Wilson dizendo a todo momento que os fãs deveriam chamar pelo Foo Fighters.

Setlist
Everyday I Love You Less and Less
Everything Is Average Nowadays
Ruffians on Parade
Never Miss a Beat
Coming Home
The Angry Mob
Bows & Arrows
Ruby
I Predict a Riot
Misery Company
Oh My God

FOO FIGHTERS

Foo Fighters - Rio de Janeiro - jan-2015 - por Marcos Hermes T4F II

Enfim chegou o momento mais esperado da noite. O Foo Fighters subiu ao palco de cara tocando “Something From Nothing”, música de trabalho do disco Sonic Highways, lançado no fim do ano passado. Seguiram com “The Pretender” antes de fazer o Maracanã tremer com “Breakout” e “Learn To Fly” e mantiveram o ritmo acelerado com “Arlandria” e “My Hero”.

A partir daí a banda desacelerou o ritmo e começou a se perder em meio a versões diferentes de músicas favoritas do público, quase sempre precedidas por longas conversas de Dave com a plateia e solos estendidos no meio das músicas, com jams que acabaram descaracterizando músicas como a matadora “Monkey Wrench”, um dos primeiros sucessos do grupo e que na versão apresentada ao vivo bateu os dez minutos de duração. A diferença foi tão grande, que quando Dave disse que encerraria a música, a maioria das pessoas não faziam ideia que eles ainda a estavam tocando.

Por conta das improvisações, temas como “Congregation”, “Walk” e “In The Clear”, passaram batidos pela maior parte do público que aproveitou a caída na empolgação para ir ao banheiro, comprar bebidas ou simplesmente deitar no gramado do Maracanã para descansar um pouco da maratona de shows e calor absurdo que fazia na capital carioca. Dos bons momentos da segunda parte do show, podemos citar “Big Me”, apenas com Dave no violão e a plateia acompanhando com as luzes de seus telefones celulares.

A parte de covers no palco improvisado na passarela que se estendia até o meio da pista VIP se mostrou uma boa sacada e o grupo conseguiu trazer a empolgação de volta à apresentação com a execução de “Times Like These”, uma das favoritas dos fãs.

A banda seguiu então com um miniset de covers que consistiu em “Detroit Rock City” do Kiss, “Tom Sawyer” do Rush, recebida com certo desdém por conta do público mais jovem (os mais velhos adoraram) e “Stay With Me” do The Faces que contou com o vocal do baterista Taylor Hawkins, antes de encerrarem essa parte do show com o clássico “Under Pressure”, do Queen e David Bowie.

Foo Fighters - Rio de Janeiro - jan-2015 - por Marcos Hermes T4F I

Caminhando para a parte final do show, tivemos alguns dos momentos mais esperados da apresentação e o público carioca deu uma despedida inesquecível à Dave e sua turma, cantando todos os versos de “All My Life”. Antes de “Best of You”, Dave se dirigiu ao público pela última vez e disse que o Foo Fighters não faz bis, nunca saem do palco e depois voltam, sempre tocam até dizerem que eles têm que ir embora e, infelizmente, essa hora já estava chegando. Deu tempo ainda para os clássicos “Best of You” e “Everlong”, cantados a plenos pulmões pelos cariocas.

Salvo engano, foi o primeiro grande show de rock no Maracanã desde a apresentação histórica do The Police em 2007. No geral, uma noite excelente, com um evento absolutamente bem organizado, algo que há muito não se via no Rio de Janeiro em termos de shows grandes, mas que poderia ter sido ainda melhor tivesse o Foo Fighters mantido as coisas mais simples e diretas, não desperdiçando tempo que poderia ter sido usado para tocar outras músicas. Os fãs cariocas acabaram perdendo “These Days” e “Outside” com relação ao setlist executado em São Paulo.

Mesmo assim, para aqueles que assim como eu acompanham a banda desde o começo (lá se vão 20 anos) e que não tiveram a oportunidade de ir no show do Rock in Rio 3, foi sensacional finalmente poder ouvir músicas como “Monkey Wrench”, “Learn To Fly”, “Breakout”, “Best of You”, “Everlong”ao vivo.

A banda segue agora para Belo Horizonte, onde encerrará a turnê brasileira na próxima quarta-feira (28), com um show Esplanada do Mineirão.

SET LIST FOO FIGHTERS
Something From Nothing
The Pretender
Learn to Fly
Breakout
Arlandria
My Hero
Big me (apenas Dave)
Congregation
Walk
Cold Day in the Sun
In The Clear
This Is A Call
Monkey Wrench
Skin and Bones (Dave acústico)
Wheels (Dave Grohl sozinho)

Palco 02 (giratório):
Times Like These (metade com Dave, outra metade com toda banda)
Detroit Rock City (KISS cover)
Tom Sawyer (Rush cover)
Stay With Me (The Faces cover, Taylor nos vocais)
Under Pressure (Queen & David Bowie cover)

Encore:
All My Life
Best of You
Everlong

(Visited 331 times, 1 visits today)