Sonata Arctica: ER não é reescrever a história – Entrevista exclusiva com Henrik Klingenberg

Compartilhe:

Sonata Arctica - promo 2014 I

Entrevista por Renata Petrelli – Tradução por Rodrigo Gonçalves – Imagens por divulgação – Edição por André Luiz

Formado em 1995, na cidade litorânea de Kemi, os finlandeses do Sonata Arctica celebram 15 anos de lançamento de seu debut álbum com o lançamento de “Ecliptica – Revisited”, em meio a tour de divulgação de seu último trabalho de estúdio, “Pariah’s Child”. Após milhões de álbuns vendidos em toda Europa, Tony Kakko (vocal), Elias Viljanen (guitarrista), Pasi Kauppinen (baixo), Henrik Klingenberg (teclado) e Tommy Portimo (bateria) tornaram-se um dos mais influentes nomes da proeminente cena escandinava.

Em entrevista exclusiva ao Portal Metal Revolution, o tecladista Henrik Klingenberg (desde 2003 na line up da banda finlandesa) comenta sobre a ideia do relançamento de debut, a tour do “Pariah’s Child”, o projeto Silent Voices, a entrada e contribuição de Pasi Kauppinen no Sonata, além da influência da banda na cena heavy mundial.

Renata Petrelli – Em primeiro lugar, bem-vindo ao Portal Metal Revolution. A partir de fevereiro vocês farão uma turnê extensa no Brasil. Quais são as expectativas da banda para estas apresentações?
Henrik Klingenberg –
Nós esperamos mais uma leva de grandes shows com os nossos fãs brasileiros que são doidos e barulhentos, nós também tocaremos em alguns lugares onde nunca estivemos, o que com certeza será bom, então acho que iremos nos divertir bastante.

Renata Petrelli – Recentemente a banda lançou ‘Ecliptica – Revisited’, celebrando o 15º aniversário do álbum. Como e quando surgiu essa ideia?
Henrik –
Nosso selo japonês sugeriu e depois de discutirmos entre nós, pensamos “por que diabos não?”. É mais um tributo ao álbum original do que uma tentativa de reescrever a história.

Sonata Arctica - Henrik Klingenberg - promo 2014

Renata Petrelli – A música “I Can’t Dance” é um cover do Genesis. Como ela acabou sendo a escolhida para gravar o videoclipe deste álbum?
Henrik – Nós gravamos essa música durante as sessões de gravação do álbum ‘Stones Grow Her Name’ (2012), mas nunca tivemos a oportunidade de usá-la em algo. Para esse lançamento, Papsi regravou as partes de baixo de Markos e remixou a música. Tony teve a ideia de gravar o vídeo durante a última turnê norte-americana e nós concordamos… Eu acho que o resultado final ficou bastante engraçado, o que era o nosso objetivo.

Renata Petrelli – Pasi tocou com você no projeto Silent Voices. Como ele acabou sendo convidado para ser o baixista do Sonata Arctica? Foi uma escolha natural após a saída de Marko Paasikoski?
Henrik –
Pasi tem trabalhado com o Sonata Arctica desde o nosso primeiro DVD (ele o mixou) lá pelos idos de 2005/2006, e ele fez diferentes trabalhos em estúdio para nós através dos anos, portanto acabou sendo uma escolha óbvia após a saída de Marko. A transição foi bem tranquila já que todos já conhecíamos Pasi há muitos anos.

Renata Petrelli – Há alguma chance dos fãs brasileiros verem um show do Silent Voices?
Henrik –
Eu acho que seria algo muito legal, mas ao mesmo tempo muito difícil de conseguir fazer dar certo, uma vez que os voos para a América do Sul são muito caros e o Silent Voices não é exatamente uma banda famosa…

Renata Petrelli – Podemos esperar por um novo álbum solo de Viljianen? O que você sabe a respeito?
Henrik –
Acredito que Elias tem algumas canções prontas, portanto, tenho certeza que ele eventualmente gravará um novo álbum solo.

Sonata Arctica - Henrik Klingenberg - promo 2014 I

Renata Petrelli – A última turnê brasileira foi baseada nos álbuns “Ecliptica” e “Pariah’s Child”. O que os fãs podem esperar dessa nova turnê? R em termos de setlist? Alguma surpresa?
Henrik –
Na verdade nós tocamos apenas uma ou duas músicas do álbum “Pariah’s Child”, portanto dessa vez teremos mais (espaço no set para este álbum) e talvez algumas faixas do disco “Ecliptica” que não tocamos ao vivo há algum tempo… Não tenho certeza sobre o setlist ainda, mas creio que temos totais condições de dar um grande show aos fãs.

Renata Petrelli – Vocês possuem uma grande legião de fãs na América do Sul. Você já pensaram em filmar um DVD ou vídeo por aqui?
Henrik –
Nós temos conversado sobre quando preparar o próximo DVD ao vivo e a América do Sul tem sido uma das opções de locais para gravá-lo. Ainda não tomamos nenhuma decisão definitiva com relação a isso, mas informaremos aos fãs quando acontecer.

Renata Petrelli – Recentemente, M. Shadows (vocalista do Avenged Sevenfold), escolheu o disco “Ecliptica – Revisited” como um dos seus cinco álbuns favoritos lançados em 2014. Como vocês veem a influencia do Sonata Arctica sobre as novas bandas? Quais foram as bandas que os inspiraram e quais são as bandas que vocês podem destacar?
Henrik –
Sim, eu fiquei sabendo disso… O que é bem legal e uma grande honra ter alguém tão famoso nos mencionando. De vez em quando você ouve uma banda que foi claramente influenciada por nós e isso é bem legal. Eu, particularmente, não escuto muito metal melódico porque fazemos isso todos os dias… Pantera, Slayer, Metallica e Iron Maiden são os tipos de banda que eu gosto e eu também curto muita coisa fora do heavy metal.

Renata Petrelli – Obrigado pela atenção e, por favor, sinta-se à vontade para deixar uma mensagem para os seus fãs brasileiros.
Henrik –
Já que vocês foram tão receptivos e legais conosco, estaremos de volta em breve… Dessa vez com a nossa maior turnê brasileira. Espero vê-los nos shows em algumas semanas. Saudações!!!

Sonata Arctica - promo 2014

(Visited 185 times, 2 visits today)
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *