Hypocrisy – 24-04-2014 – Curitiba (Music Hall)

Hypocrisy - Curitiba 2014 - por Clovis Roman 07

Texto e fotos por Clovis Roman

Pela segunda vez no Brasil, o Hypocrisy estreou em palcos curitibanos no Music Hall, casa que vem recebendo a maioria dos shows de Metal na cidade. Divulgando o disco End Of Disclosure, a banda mandou sons atuais com alguns de seus clássicos, mesmo as velharias podres do começo de carreira vieram apenas em um medley no meio do show. Sem banda de abertura, o Hypocrisy subiu ao palco e encontrou um público fiel e emocionado em poder ver os caras de perto. Não era difícil ver marmanjo cantando com lágrimas escorrendo.

A abertura veio, sem muita enrolação, com a faixa título do último disco, que é candidata a ficar no setlist por um bom tempo, já emendada com “Tales Of Thy Spineless, do mesmo trabalho. As colossais “Fractured Millenium” e “Killing Art” vieram na sequência. A segunda é uma das melhores composições de Peter Tägtgren e companhia, pois mescla perfeitamente brutalidade com melodias marcantes.

Ao lado de Tägtgren, está seu companheiro de banda desde o começo, o baixista Mikael Hedlund, o guitarrista contratado Tomas Elofsson e o renomado baterista Reidar “Horgh” Horghagen, que também faz parte do Immortal. Como a banda de Black Metal toca pouco ao vivo, Horgh pode pegar a estrada com o Hypocrisy sem maiores complicações. E o quarteto resgatou alguns sons antigos em formato medley, que englobou “Pleasure of Molestation”, “Osculum Obscenum” e “Penetralia”. Infelizmente, “Left To Rot”, uma de suas mais famosas “das antigas” ficou de fora.

Antes do inevitável fim, a galera ainda pôde conferir execuções brilhantes de sons como “Elastic Inverted Visions”, “War-Path” e “The Final Chapter”. Entre as novas, “44 Double Zero” se destacou bastante, pois funciona bem ao vivo. Na volta para o encore, Tägtgren aparece com a bandeira do Brasil nos ombros (ele fez a mesma coisa em São Paulo), e a trinca final foi para arregaçar: primeiro, “Roswell 47”, do Abducted (1996). Aliás, o setlist foi baseado todo (exceto o medley) deste trabalho pra frente. Depois veio “Adjusting The Sun”, daquele que seria o último álbum da banda, The Final Chapter. Felizmente na época (1997) eles desistiram da idéia, e desde então lançaram mais sete discos. A 16ª e derradeira foi “Eraser”, a mais famosa música da banda pós década de 90.

Setlist:
End of Disclosure
Tales of Thy Spineless
Fractured Millennium
Killing Art
The Eye
Valley of the Damned
Fire in the Sky
Pleasure of Molestation / Osculum Obscenum / Penetralia
Buried
Elastic Inverted Visions
44 Double Zero
War-Path
The Final Chapter

Encore:
Roswell 47
Adjusting the Sun
Eraser

(Visited 85 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *