Steve Vai – 08-12-2013 – São Paulo (Credicard Hall)

Texto por Clayton Franco – Imagem por T4F (divulgação).

Steve Vai… Para muitos esse nome dispensa apresentações. Começou sua carreira musical com Frank Zappa, mas também trás no currículo participações em discos de bandas de renome como Alcatrazz, David Lee Roth e Whitesnake. Mas é com sua carreira solo onde pode mostrar toda sua técnica e carisma sob o palco. Seu modo de tocar guitarra e compor músicas é tão particular e único, tornando a guitarra uma extensão de seu próprio corpo, que lhe valeu o convite para integrar o G3 de Satriani (com quem o musico mantem uma relação muito próxima). Com um currículo deste nas costas, seu show já era a muito tempo esperado em nosso país, pois a anos não dava as caras por aqui. E quem foi assistir a apresentação no ultimo domingo no Citibank Hall (antigo Credicard hall) saiu de lá mais que satisfeito!!! Steve Vai demonstrou o motivo de ser chamado de “mago das guitarras”.

Por volta das 20.30 inicia-se o show de uma forma grandiosa. Os músicos que acompanham Vai são extremamente habilidosos em seus instrumentos e logo de cara mostraram a que vieram tocando com grande primor e extrema vontade de colocar os presentes a pular. Vai adentrou ao palco sendo ovacionado por todos logo no inicio e “Rancing the World” todo sorridente e acenando para o publico. Emendou esse inicio de show com “Velorum” pouco mais lenta que a canção escolhida para abertura, mas que não deixou o publico desanimar. Entre uma musica e outra, Vai conversou um pouco com o publico, elogiando a todos os presentes dizendo que “havia muita gente bonita na plateia” e perguntando se estavam todos empolgados pois o show iria durar 6 horas. Lógico que não teve essa duração, mas as mais de 2 horas e meia de show serviram para despejar clássico atrás de clássico.

E por falar em clássico, logo no inicio do show já tivemos a execução de “Tender Surrender” e “Gravity Storm”. O som local estava muito claro e limpo, podendo ouvir as guitarras com perfeição. Houve uma pequena pausa, ainda no inicio do show, para que a equipe técnica arrumasse um pequeno problema que aconteceu com o equipamento de Vai, mas logo após, o show continuou de forma tranquila e sem mais incidentes. Logo após, Vai demonstra que não é apenas um excelente guitarrista técnico, mas sim uma grande e humilde pessoa. Ao contrário de tantos outros guitarristas considerados virtuosos, Vai não é uma pessoa arrogante que se coloca em um pedestal para ser adorado. Demonstrou isso, quando abriu espaço para o guitarrista Dave Weiner executar uma musica solo chamada “The Trillium’s Launch”, onde Vai além de elogia-lo após o fim da música ainda recomendou a todos os presentes comprar o cd do Weiner que iriam se surpreender.

O show prossegiu com a execução de “Weeping China Doll” onde o publico literalmente congelou para ouvir todas as nuances desta canção. E para abrilhantar o final da primeira parte do show, tivemos a execução de “Whispering a Prayer” onde todos os presentes acompanharam o ritmo batendo palmas. Vale destacar todo o improviso em solos que Vai executou nesta canção além de brincar com a plateia fazendo os presentes gritarem ao som que tirava de sua guitarra. O baixista que acompanha o grupo, também teve seu momento solo com “The Audience is Listening” onde mostrou um belo solo enquanto o crew da banda modificava o palco para dar inicio a parte acústica da apresentação.

E foi apenas com violão que Vai brindou os presentes com a belíssima execução de “The Moon and I” seguida por “Rescue Me or Bury Me”. Particularmente gostei muito da parte acústica do show. Vai é muito conhecido pelo seu virtuosismo com a guitarra e seus solos elétricos e contagiantes. Essa “quebra” no andamento do show, serviu exatamente para demonstrar essa sua outra face musical pouco conhecida. E tal show acústico ainda continuou com a execução de “Sisters” e “Salamanders in the Sun” e finalizando com um medley de “Treasure Island – Fire Garden Suite II – Pusa Road”.

Finalizando a parte acústica do show, foi a vez do baterista Jeremy Colson ter seu momento solo. Particularmente não sou fã de solos de bateria, tirando um ou outro baterista, todos os solos são repetitivos e cansativos. Mas o que Colson fez no palco foi de encher os olhos (e ouvidos) dos presentes. Entrou no palco gritando o nome do Sepultura, e seu solo ainda teve direito a batida de panela, som retirado do piso do palco e até mesmo de cone de transito (onde diabos ele foi achar isso?). Mostrando uma grande inovação e um verdadeiro “maracatu” sobre o palco.

Fim do solo de bateria Vai retorna ao palco parecendo um alienígena. Sua roupa estava cheia de luzes, e o palco completamente apagado. Vai toca “The Ultra Zone” exatamente desta maneira: todo brilhante, em meio a escuridão do palco, correndo para todos os lados. Algo que podemos considerar no mínimo estranho, mas para os apreciadores de sua técnica nas guitarras, pode perceber que as luzes na roupa e o movimento e Vai no plco acompanhava direitinho o ritmo da musica. Fim desta parte digamos diferente, foi a vez de Vai chamar duas pessoas da plateia para ajuda-lo na execução da próxima canção. Empunhando a guitarra, Vai os comandava o ritmo da percussão que eles tinham que tirar…

O show já se aproximava do final, e para a ultima canção desta segunda parte do set, vai separou uma de suas mais famosas canções. Estamos falando de “For The Love of God”. Nem é preciso dizer a loucura que esta canção causou nos presentes, com todos a acompanhando e gritando. O biz veio com “Fire Garden Suite IV – Taurus Bulba” encerrando mais de 2 horas e meia de festival e deixando um gosto de quero mais. Esperamos que Steve Vai não demore tantos anos novamente para voltar ao Brasil, pois essa sua recente passagem para 4 shows em nosso pais com certeza irá deixar saudades.

Banda:
Steve Vai – Guitarra, Violão e Vocal
Philip Bynoe – Baixo
Dave Weiner – Guitarra e Violão
Jeremy Colson – Bateria

Setlist:
1. Racing The World
2. Velorum
3. Building The Church
4. Tender Surrender
5. Gravity Storm
6. The Trillium’s Launch (música de Dave Weiner)
7. Weeping China Doll
8. Answers
9. The Animal
10. Whispering a Prayer
11. The Audience Is Listening
12. The Moon and I / Rescue Me or Bury Me (acústica)
13. Sisters / Salamanders in the Sun (acústica)
14. Treasure Island / Fire Garden Suite II – Pusa Road (acústica)
15. Drum Solo (Jeremy Colson)
16. The Ultra Zone
17. Frank
18. Build Me a Song
19. For the Love Of God
Bis:
20. FireGarden Suite IV – Taurus Bulba

(Visited 59 times, 1 visits today)