Europe – 23-09-2012 – São Paulo – SP (A Seringueira)

Texto e fotos por Juliana Lorencini

Sabe aquela famosa frase repetida inúmeras vezes pelos brasileiros de que bandas ainda inéditas por aqui, quando vem não demoram a voltar? Pois bem, este é o caso dos suécos de Europe, que decidiram repetir a dose voltando ao Brasil neste mês. O show aconteceu na A Seringueira, para um público razoável, que não lotou o local, mas não desapontou a banda.

Com um atraso considerável de 50min – e o show foi em um domingo à noite – o Europe subiu ao palco as 20h50. A euforia inicial dos fãs de manteve nos primeiros minutos, enquanto a banda os apresentava três faixas que compõe seu mais recente álbum “Bago of Bones”: “Riches to Rags”, “Not Supposed to Sing the Blues” e
“Firebox”.

Antes mesmo de o show começar, enquanto os fotógrafos aguardavam no piti e tentavam de alguma forma conseguir uma foto do setlist, os fãs que estavam na grade já perguntavam por “Cherokee”, e mesmo obtentando uma resposta negativa de quem já tinha conferido o setlist, continuaram a pedir pela música, um dos grandes hits do Europe, durante toda a noite, porém sem sucesso. Desta vez, a faixa não estava no extenso repertório trazido pela banda ao Brasil.

Joy Tempest é um vocalista extremamente habilidoso, e é impossível não reconhecer isso. Dotado de um imenso carisma e talento, é ele quem literalmente fez o show, não que os demais integrantes do Europe se anulem durante o show, mas é ele quem conduz o show e ousa muitas vezes conversar com o público em português, nada que fuja das conhecidas expressões, ou mesmo do “Vamos, vamos, vamos!” pedindo para que os fãs o acompanhem enquanto pula.

“Superstitious”, “Carrie” e “Rock the Night”, a última com um pequeno trecho de “Another One Bites The Dust” do Queen, tocado no meio de sua execução, cada uma a sua maneira, chegam a empolgar o público. Entretanto o que ficou claro para mim nesta primeira parte do show, é que mesmo com ótimas músicas e competência de sobra para compor, o Europe fica preso a duas ou três músicas que em diferentes momentos da sua carreira despontaram. Observando aos fãs durante o show, a impressão que tive é que apenas os veria realmente empolgados quando “The Final Countdown” fosse tocada, e não ignorando a possibilidade de que talvez “Cherokee” alcançasse algo parecido.

Na volta para o bis “Last Look at Eden“ seguida pela tão aguardada “The Final Countdown”, quando finalmente vi o público encher os pulmões para cantar e pular, não com a densidade que eu esperava, na verdade o que mais vi ser erguido, como de costume foram câmeras fotográficas, celulares e afins, algo que já faz parte de qualquer show hoje em dia e não só no Brasil. Porém, isso só ajudou a reforçar minha imagem de que apesar do Europe ser uma banda fantástica, o show foi morno e não repetiu o grande “boom” que causou na sua primeira passagem pelo país em 2010.

Setlist
Riches to Rags
Not Supposed to Sing the Blues
Firebox
Superstitious
Scream of Anger
No Stone Unturned
Demon Head
New Love in Town
Bag of Bones
Girl From Lebanon
Carrie
Love is Not the Enemy
Let the Good Times Rock
The Beast
Doghouse
Rock the Night

 Bis
Last Look at Eden
The Final Countdown

Confira algumas imagens da passagem do Europe por São Paulo, o show aconteceu na casa de show A Seringueira.

(Visited 33 times, 1 visits today)