Aborted, Unearthly, Anarkhon e Desecrated Sphere – 18-02-2012 – São Paulo – SP (Carioca Club)

Por Leandro Cherutti
Fotos Leandro Cherutti

Para os amantes do som extremo, o feriado de carnaval na cidade de São Paulo, não foi perdido. A capital recebeu na noite de sábado, 18 de fevereiro, uma das mais insanas bandas do death/gore metal mundial, Aborted. Os belgas a princípio iriam dividir o palco com outra atração internacional, a banda norte-americana Exhumed que acabou cancelando sua apresentação devido a problemas ao retirar o visto de entrada no país. As outras atrações da noite, e não menos importantes foram os paulistas do Desecrated Sphere, Anarkhon e os cariocas do Unearthly.

O público demorou a chegar ao Hangar 110, e quando chegou, não foi em um grande número, aproximadamente 200 pessoas compareceram ao local. Será que os fãs não vieram em grande massa devido o cancelamento do Exhumed? Esta foi a pergunta que ficou no ar.

Pontualmente como previsto, às 19h, o Desecrated Sphere, subiu ao palco trazendo a bela canção ”Ruin”. De início os músicos se portaram de uma forma um pouco tímida, mas com o passar do show, Renato Sgarbi (Vocal), Saulo Benedetti (Bateria), Gustavo Lozano (guitarra), José “Motor” Montovani (Baixo) e Rubens Fraleone (Guitarra) se soltaram, proporcionando um belo espetáculo, no mais puro death metal técnico. Faixas como “Inquisition haereticae Pravitatis Sanctum Officium”, “Gospel is Dead”, “Deafraudation”, “Century of Tiranny” e “Biological Butchery” também fizeram parte do set list da banda que  foi baseado em seu primeiro álbum The Unmasking Reality.

A noite teve sequência com uma velha conhecida do público, o Anarkhon. Já na estrada há 13 anos, e com a velha experiência adquirida com o passar dos anos, os guarulhenses tomaram o palco para si, iniciando a carnificina com a ótima faixa intitulada “A Dor da Imortal Putrefação”, seguida de “Regurgitation Maggots” e “Espetáculo de Horror e Tortura”, neste momento Aron Romero (Guitarra e Vocal), Michel Yuzna (Baixo), Wellington Becker (Bateria) e William Craven (guitarra), estavam em perfeito entrosamento, e seguiram o show com “Corporal Sories”, “Execução Fetal”, “Return to Cum”, “Rotten Flesh Reanimated” e “Satisfação em Costurar um Corpo Retalhado com Arame Farpado” faixa escolhida para encerrar mais uma ótima apresentação em São Paulo.

Não se demorou muito para os cariocas do Unearthly darem o ar da graça. A banda esta vivendo um ótimo momento com o fantástico álbum Flagellum Dei, lançado em 2011. Seguindo os mesmos caminhos musicais de renomadas bandas polonesas como Behemoth e Hate, o Unearthly apresentou sua obra prima aos fãs paulistas com a trinca avassaladora “Seven Six Two”, “Baptized in Blood” e “Flagellum” ambas do último cd.

Sem perder tempo, logo executaram “Days of Storm for Christian Souls” que encabeça o disco Infernum – Prelude to a New Reign de 2002. Um momento marcante do show foi na execução de “Black Sun”, canção que possui uma passagem em ritmo de baião, fazendo com que alguns fãs na pista dançassem o estilo. E finalizaram com “Insurgency” e “Age of Chaos”.

O quarteto formado por Felipe Eregion (Vocal e Guitarra), Vinny Tyr (Guitarra), M.Mictician (baixo) e Rafael Lobato (Bateria), demonstra muita técnica e perfeição, e não é a toa que estão se chegando ao topo do metal extremo nacional.

Às 21h30 chegou a hora da atração internacional da noite tomar de assalto o minúsculo palco do Hangar 110. O Aborted entrou de forma ensandecida, esbanjando vitalidade e força. Iniciaram seu repertório com “Global Flatline” do álbum homônimo, e foi quando surgiu um problema na guitarra de Michael Wilson, que se desligou por alguns segundos. Sven de Caluwé (vocal) possui uma presença de palco empolgante, e isto tomou conta dos fãs nos primeiros acordes, dando origens a seguidas rodas de mosh. Os belgas prosseguiram com a fortíssima “Meticulous Invagination” emendada com “Coronary Reconstruction” e “The Origin of the Disease”.

Esta foi a primeira passagem do Aborted pelo Brasil, a felicidade da banda em estar tocando em solo brasileiro era notável, e toda essa energia foi transmitida em músicas como “The Holocaust Incarnate”, “Expurgation Euphoria” e “From A Tepid Whiff”.  Os fãs enlouquecidos queriam mais, e Sven e sua trupe os presenteavam com uma devastação sonora impecável. Ainda como destaques da noite foram às composições “Sanguines Verses”, “Threading on Vermillion Deception”, “Gestated, Rabidity” e “Dawn Wreckoning”.

Os incansáveis músicos do Aborted, não deram trégua, e para fechar uma apresentação matadora mandaram “The Saw and The Carnage Done” e “Nailed Through Her Cunt”. Esta noite de carnaval com certeza foi inesquecível para quem compareceu neste fabuloso fest realizado pela Tumba Produções.

Set list Aborted

Global Flatline
Meticulous Invagination
Coronary Reconstruction
The Origin of Disease
The Holocaust Incarnate
Expurgation Euphoria
From A Tepid Whiff
Sanguines Verses
Threading on Vermillion Deception
Gestated Rabidity
Dead Wreckoning
The Saw and The Carnage Done
Nailed Through Her Cunt

Confira a fotos do evento:

(Visited 24 times, 1 visits today)