Arkona – 28-04-2012 – São Paulo – SP (Clash Club)

Por Rafael Moreira
Fotos por Juliana Lorencini

              A diversidade de São Paulo se fez mais uma vez presente nesse sábado (28/04/2012) quando a banda de folk metal Arkona realizou o desejo dos fãs que aguardavam tão ansiosamente.

            Já na abertura da casa era possível encontrar pessoas com roupas de época medieval e camisetas com estampas de cavaleiros, dragões e castelos, tudo isso regado ao também folk metal da banda de abertura  Skaldic Soul, que trouxe musica de qualidade e deixou a plateia pronta para a atração principal, mas as apresentações não pararam por ai.

            Antes e depois da banda de abertura tivemos uma apresentação de dança russa e uma batalha encenada com espadas de verdade, com direito a fagulhas e brados de guerra. O mais inusitado era ver que essas apresentações não eram feitas no palco e sim na pista, em meio a galera que gentilmente abriu uma grande roda para a dança e para as batalhas, roda digna de ser chamada de arena.

            Com os ânimos já tomados pela cena medieval o Arkona entra no palco do Clash Club com Sergei “Lazar” na guitarra, Ruslan “Kniaz” no baixo, Vlad “Artist” na bateria, Vladimir “Volk“nos instrumentos de sopro. Claro que entre esses gigantes russos estava a pequena Masha “Scream” nos vocais. Usando uma pele de raposa sobre os ombros durante toda a apresentação se mostrou uma verdadeira Barbara nórdica quando o assunto é variação vocal, musicas com velocidade e força como “Arkaim” e “Ot serdca k nebu” era misturadas com uma voz suave e singela a cada toque da guitarra ou da gaita de fole.

            O Arkhona não decepcionou quem foi ali para conhecer a banda, mesmo nos momentos mornos da apresentação eles conseguiam o que queriam, agitar e mostrar como é o Folk Metal Russo. Mas o grande ápice da festa foi durante a música “Stenka Na Stenku” onde os músicos comandam a formação do que eles chamam de “Wall of Death” dividindo a pista em duas frentes de batalha, formando assim uma gigantesca roda de bate cabeça durante toda a musica.

            Não houve quem saísse do local sem a sensação de cansaço, mas alegria. Cansaço esse que atingiu até a vocalista que passou mal nos bastidores por ter pulado tanto em meio ao calor com a pele cobrindo seu corpo pelas quase duas horas de show. Bandas como o Arkona devem ser trazidas ao Brasil sempre que possível, para mostrar o quão bom é variar nesse incrível estilo que é o Metal. Que venham mais e mais!

Confira a galeria de fotos do show do Arkona:

(Visited 24 times, 1 visits today)